Renovação de nossa Fidelidade

Baixar em 

 
 
 
 

Renovação de Nossa Fidelidade 2014

 

Introdução

 



 

Queridos irmãos membros do Movimento de Reforma:

 

Os dias que estamos vivendo são solenes e a rapidez com que nos deparamos com os acontecimentos são alarmantes. Esta é uma era de vícios, ódio, intolerância, violência e declínio moral sem precedentes.

Como diz a profecia: “sobrevirão tempos  trabalhosos...”  e com o aumento da apostasia, “o amor de muitos esfriará.”

Mas é em meio a este caos moral e espiritual que fomos chamados como reformadores e restauradores de veredas, e diante deste desafio a ordem divina é “Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados... E os que de ti procederem edificarão as ruínas antigas; e tu levantarás os fundamentos de muitas gerações; e serás chamado reparador da brecha, e restaurador de veredas para morar.”  Isaías 58. 1,12.

Há  um conselho inspirado que diz: “Estão justamente ante nós, tempos que hão de provar a alma dos homens, e os que são fracos na fé, não resistirão à prova daqueles dias de perigo... É obra de Satanás desanimar o povo de Deus e abalar-lhes a fé. Procura ele de todos os modos insinuar dúvidas e interrogações com respeito à atitude, à fé e aos planos dos homens sobre os quais Deus colocou o encargo de uma obra especial e que estão zelosamente efetuando essa obra.” Testemunhos Seletos, vol. 2 pp. 101, 102.

Estas advertências tem-nos levado a preparar este material “RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE” visando alcançar a cada irmão e servir de guia a todos os membros de Igreja. Nele temos focalizado a necessidade de sermos mais fiéis  no altar da família,  no poder da palavra, na aparência e conduta cristã, na higiene, na temperança cristã, no trabalho missionário, nos dízimos e ofertas, na reverência e zelo na casa de Deus, na observância do sábado e em nossos votos; bem como em defender e ensinar estes princípios por preceito e por exemplo. Cada cristão deve refletir o caráter  de  Cristo  e ser uma testemunha viva em favor do  evangelho. “Assim  resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.”  Mateus 5.16.

Pedimos encarecidamente aos dirigentes de distritos, campos e igrejas para que todos sejam beneficiados. Sendo possível, que cada família tenha sua apostila para acompanhar a leitura na igreja; e que seja dado seguimento no conteúdo dos temas nos cultos de domingo e quarta-feira. Os encarregados  dos temas durante a semana deverão se preparar devidamente para que o objetivo seja alcançado.

 

Convidamos a todos os irmãos e amigos que para a décima leitura nos unamos em um dia especial de jejum solene, renovando nossos votos de fidelidade e consagração a Deus em todos os  pontos aprendidos durante este período.  Que possamos alcançar o segredo da vitória que está em Cristo.  “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.”  Filipenses 4.13.  Sua promessa é:  “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida.”

 

Pr. Adalício Fontes de Souza

Presidente

 

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NO

ALTAR DA FAMÍLIA

Pr. Julio N. Sandoya

 


 

O substantivo hebreu para altar é mizebêaj, o verbo zâbaj, e significa "degolar." Os altares do passado eram estruturas de tijolo ou pedra, grandes e fixas, ou de menor tamanho, para serem transportados. Neles se ofereciam sacrifícios e incenso a alguma deidade. O primeiro altar que a Bíblia registra é o que Noé construiu depois do dilúvio  “Para oferecer sacrifícios a Deus, o Senhor. Ele pegou aves e animais puros, um de cada espécie, e os queimou como sacrifício no altar.” Gênesis  8.20.

Abraão também edificou altares ao Senhor em Siquém, entre Betel e Ai, em Hebrom, em Moriá, onde ofereceu um cordeiro em lugar de Isaque. Gênesis 12.6-8; 13.18; 22.9. Isaque erigiu um altar em Berseba, Gênesis 26.5. Jacó construiu altares em Siquém e Betel. Gênesis 33.20; 35.1-7, e também Moisés edificou um altar em Refidim, após a vitória de Israel contra Amaleque. Êxodo 17.15.

Posteriormente, e com a instauração do culto a Jeová, Moisés construiu dois altares no santuário do deserto: o altar do holocausto feito de madeira e recoberto de bronze para os sacrifícios queimados, que tinha 1,55m de altura por 2,56m de lado, e que estava situado no pátio exterior, próximo da porta, Êxodo 27.1-8; e o altar do incenso ou altar de ouro que estava dentro do lugar santo, frente ao véu que separava o lugar santo do santo dos santos. Êxodo 30.1,6. Neste altar devia queimar-se incenso duas vezes por dia, na manhã e ao anoitecer, como “rito perpétuo”, Êxodo 30.7,8. Isto significa que havia uma fragrância permanente nos dois compartimentos do santuário.

Posterior ao altar do deserto deve mencionar-se os altares construídos por Josué no Monte Ebal, onde foi lida em voz alta toda a lei, Josué 8.30-35;  por Gideão em Ofra, Juizes 6.24-26; por Davi na era de Araúna, 2 Samuel 24.18-25;  e por Elias no monte Carmelo, 1 Reis 18.

A história sagrada faz constar que estes servos de Deus construíram altares domésticos com diversos propósitos: oferecer sacrifícios, adorar a Deus, comemorar algum evento especial, ou agradecer ao Senhor.

O altar de adoração familiar

Cada lar cristão assume também a condição de um altar de adoração a Deus. Nesse altar devem apresentar-se os membros da família levando seus cânticos, suas orações, seus agradecimentos e implorar as bênçãos de Deus.

Cada dia representa um novo desafio, e a família deve reunir-se em torno do altar doméstico e apresentar-se ante Deus. “Antes de sair de casa para o trabalho, toda a família deve ser reunida, e o pai ou a mãe na ausência dele, deve rogar fervorosamente a Deus que os guarde durante o dia. (...) Pela fé, atai-os ao altar, suplicando para eles o cuidado do Senhor.”  Testemunhos Seletos, vol. 1, p. 148.

A vida religiosa somente pode sustentar-se por meio da fé, e o exercício dela começa no altar familiar, quando em humildade e contrição o adorador busca a seu Criador e Salvador para apresentar-se diante dele. Em palavras poéticas Davi expressou essa necessidade, quando disse: “Oferecerei sacrifício de júbilo em seu tabernáculo; cantarei, sim, cantarei louvores ao Senhor. (...) O meu coração te disse a ti; o teu rosto, Senhor, buscarei.” Salmo 27. 6,8. Também destacando a importância adorativa do sacrifício matinal disse: “Pela manhã ouvirás a minha voz, ó Senhor; pela manhã me apresentarei a ti, e vigiarei.” Salmo 5.3.

Cada família deve ser um centro de oração e um altar de adoração a Deus. Tem-se demonstrado que o secularismo, o carreirismo, o desafio profissional, a luta pela subsistência, a pressão social, a influência dos amigos que não compartem a nossa fé, a música secular, as modas, as tentações sexuais e o amor pelo dinheiro exercem em maior ou menor grau uma ação corrosiva em contra da fé. Este quadro que se repete dia a dia impõe a imperiosa necessidade de fortalecer a vida religiosa, enchendo-a desse oxigênio espiritual diariamente, na manhã e na tarde, por meio da oração intercessora no altar doméstico.

 

O sacerdócio familiar

No altar da família, o pai é o sacerdote, e deve apresentar a vida de seus filhos e a de todos os membros do lar perante o Senhor, e por sua vez cada um deve oferecer-se a si mesmo para o serviço de Deus. Paulo igualmente insiste em esta entrega diária: “Peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a  Deus.” Romanos 12. 1,2.

No santuário terrestre, os adoradores de Jeová deviam oferecer sacrifícios que implicavam na morte de um animal sem defeito e oferecer seu sangue no altar do sacrifício, ou seja,  a própria vida do animal, sob a mediação do sacerdote. Com a morte de Cristo, esses sacrifícios não são mais necessários, pois ele é o verdadeiro “cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” João 1. 29. Da mesma forma, o pai de família como sacerdote de sua casa deve dedicar cada manhã a vida de seus filhos como sacrifício vivo, para que eles desenvolvam um caráter semelhante ao de Jesus, uma vida de obediência e fé, uma vida santa que testifique do poder da verdade, pois este é o culto racional, o culto que Deus aceita.

Jó conhecia esta necessidade, e quando seus filhos se reuniam para festejar e alegrar-se, ele tinha uma grande preocupação por eles, e por isto, “Tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e blasfemaram de Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente.” Jó 1.5.

“Todos os membros da família se centralizam no pai. Ele é o legislador, ilustrando na própria varonilidade as importantes virtudes: energia, integridade, honestidade, paciência, coragem, diligência e prestatividade. O pai é em certo sentido o sacerdote da família, apresentando ante o altar de Deus o sacrifício da manhã e da tarde. A esposa e os filhos devem ser encorajados a unir-se nesta oferenda e também a participar dos cânticos de louvor...  O pai representa o Legislador divino em sua família. É colaborador de Deus, promovendo os graciosos desígnios de Deus e estabelecendo em seus filhos elevados princípios, os quais capacitam-nos a formar caráter puro e virtuoso...  O pai não deve trair seu sagrado depósito. Não deve ele em ponto algum ceder sua autoridade paterna.”  O Lar Adventista, p. 212.

 

O sacrifício diário no altar doméstico

No serviço do santuário terrestre era oferecido um sacrifício matutino e outro vespertino. “Um cordeiro oferecerás na manhã e outro à tarde.” Números 28.4.  “Toda manhã e tarde, um cordeiro de um ano era queimado sobre o altar, com a apropriada oferta de manjares, simbolizando assim a consagração diária da nação a Jeová, e sua constante necessidade do sangue expiatório de Cristo.”  Cristo Em Seu Santuário, pp. 32,33.

O momento destes sacrifícios era ocasião de intenso interesse por parte dos adoradores que se reuniam junto do tabernáculo, “Deviam empenhar-se em ardoroso exame de coração e confissão do pecado. Uniam-se em oração silenciosa, com o rosto voltado para o lugar santo. (...) As horas designadas para o sacrifício da manhã e da tardinha eram consideradas sagradas.” Ibidem, p. 34.

Esta prática cultual do povo do Velho Testamento é o fundamento do culto matutino e vespertino para a Igreja, ou seja,  o povo do novo concerto.

“Cada lar cristão, manhã e tarde deveria honrar a hora do sacrifício e do louvor. Durante o culto matutino e vespertino deveriam ascender fervorosas orações a Deus pedindo sua bênção e direção. (...) Os anjos escutam as orações expressadas com fé e levam essas petições a Jesus, que está ministrando no santuário celestial, advogando em nosso favor.” Recebereis Poder, p. 141.

O culto familiar matutino e vespertino são exercícios adorativos do maior valor e interesse para o crescimento espiritual da família, e devem ser realizados de forma interessante e participativa. Podem elevar-se cânticos de gratidão a Deus, e ao eleger-se uma porção da santa palavra, as crianças e os jovens devem participar da leitura, permitindo-lhes que façam suas perguntas, e ao mesmo tempo extraindo delas lições importantes que sirvam de salvaguarda contra as tentações durante o dia. Termine-se com orações curtas e intercessoras.

 

O lar, uma igreja em miniatura

A igreja se compõe de famílias que amam e servem a Deus, e que unidas praticam as verdades para este último tempo. Cada lar é uma igreja em miniatura, onde os membros que vivem o evangelho assumem deveres e responsabilidades espirituais. Deste modo, a igreja do lar determina em forma decisiva o clima espiritual da igreja em seu conjunto, e as debilidades ou as fortalezas da igreja familiar incidirão de forma direta no desempenho da igreja.

Cada membro da igreja familiar deve ter uma experiência pessoal com Cristo, deve abrir seu coração para que os brilhantes raios da justiça de Cristo possam irradiar luz a todos os que os rodeiam, e por meio de uma vida humilde, uma conduta santa, um comportamento íntegro e atos de amor possam mostrar ao mundo que são filhos de Deus. “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está  nos céus.” Mateus 5.16.

“Os atos diários da vida revelam a medida e a forma de nossa disposição e caráter. Onde quer que falte a religião no lar, a profissão de fé é sem valor. Portanto, não saiam dos lábios dos que compõem o círculo familiar palavras grosseiras. (...) A obra da santificação começa no lar. Os que são cristãos em casa, serão cristãos na igreja e no mundo.” Orientação da Criança, p. 481.

Os membros da igreja do lar devem cultivar o amor e a ternura de coração. Os filhos devem ser ensinados a amar os demais e a proferir palavras de ânimo e aprovação para todos, pois a dureza de coração, a frieza e falta de simpatia, fecham a porta do coração de outras almas para que Jesus não possa entrar. Por conta disto Paulo aconselha os crentes: “Vocês são o povo de Deus. Ele os amou e os escolheu para serem dele. Portanto, vistam-se de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza, de paciência. Não fiquem irritados uns com os outros e perdoem uns aos outros.”  Colossenses 3.12.

“Pais, começai em vosso próprio lar a obra da graça na igreja, conduzindo-vos de tal maneira que os vossos filhos vejam que estais cooperando com os anjos celestes. (...) Educai a vos mesmos e aos vossos filhos para a vida eterna no reino de Deus.

“Cada família é uma igreja sobre a qual presidem os pais. Deve ser a primeira consideração destes, trabalhar para a salvação de seus filhos. Quando o pai e a mãe como sacerdotes e professores da família, assumem sua inteira posição ao lado de Cristo, exercer-se-á no lar boa influência. E esta influência santificada será sentida na igreja e reconhecida por todo crente.

“É o lar uma escola onde todos podem aprender como devem agir na igreja. Quando todos são membros da família real, haverá verdadeira delicadeza na vida doméstica. (...) Haja paz no lar, e haverá paz na igreja. Essa preciosa experiência levada para a igreja será um meio de criar bondoso afeto de uns para com os outros.” Orientação da Criança, pp. 548,549.

 

Responsabilidades dos pais na educação espiritual da família

O altar da família é ao mesmo tempo um centro de educação onde os filhos aprendem as verdades divinas pelos lábios de seus pais. Existe um fato inamovível, e é o de que a primeira educação procede do lar. Os pais são os primeiros educadores. Os primeiros cinco anos são decisivos na formação religiosa de uma criança. Com elas se forma a igreja. O mais interessante é que este ciclo de ensino é muito abrangente, porque pela palavra e o exemplo permanente os pais estão constantemente implantando valores em seus filhos.

Os pais devem cultivar nos filhos o amor pelos interesses do reino de Deus. Devem ensinar-lhes as verdades da palavra de Deus, explicando-lhes o significado das histórias bíblicas, da vida de Jesus, dos eventos da salvação, das profecias, e inclusive as mensagens proferidas pelo pregador no púlpito. “Devem os pais explicar aos filhos as palavras faladas no púlpito para que estes também possam compreender e ter aquele conhecimento que, posto em prática, traz abundante graça e paz.” Orientação da Criança, p. 531.

Os filhos devem ser ensinados a ter respeito pelo lugar de adoração, para que este não seja rebaixado ao nível de um lugar comum. Deve ensinar-se-lhes a importância da reverência e da santidade da presença de Deus no lugar do culto. Este era o sentir do profeta do VT: “Mas o Senhor está no seu santo templo: cale-se diante dele toda a terra.” Habacuque 2.20. “A verdadeira reverência para com Deus é inspirada por uma intuição de sua infinita grandeza e consciência de sua santa presença. Com esta percepção do Invisível deve ser profundamente impressionado o coração de toda criança.” Educação, p. 242.

A reverência pelo lugar de adoração deve associar-se ao respeito pelo santo Livro. Os pais devem evitar que os filhos usem a Bíblia de forma profana, riscando-a, rasgando-a ou usando-a de forma descuidada. “Devemos reverenciar a palavra de Deus. Devemos mostrar respeito para com o volume impresso, nunca fazendo dele usos comuns, ou manuseando-o descuidadamente. (...) Deve ensinar-se às crianças a respeitar cada palavra que procede da boca de Deus.” Educação, pp. 243, 244.

“Muitos precisam ser instruídos quanto ao modo de se apresentarem nas reuniões para o culto do sábado. Não devem comparecer à presença divina com uma roupa usada no serviço durante a semana. Todos devem ter um traje especial para assistir aos cultos de sábado. (...) Nossa aparência exterior não nos deve ser indiferente. Devemos vestir-nos com asseio e elegância. (...) Os filhos devem estar limpos interior e exteriormente.”  Testemunhos Seletos, vol. 3, p. 22.

Quando os pais levam uma vida piedosa, de fé, amor e consagração, cada ação constitui um ensinamento que produzira seus frutos a curto, mediano ou longo prazo. Por isto mesmo Paulo aconselha os educadores do lar sobre os procedimentos desta educação: “Pais, não tratem os seus filhos de um jeito que faca com que eles fiquem irritados. Pelo contrario, vocês devem criá-los com a disciplina e os ensinamentos cristãos.”  Efésios 6.3.

“Digo aos pais e às mães: podeis ser educadores em vosssas igrejas do lar; podeis ser agências missionárias espirituais. Sintam os pais e mães a necessidade de ser missionários no lar. (...) Considerai a educação do lar uma escola missionária que prepara para a realização dos deveres religiosos. Vossos filhos devem desempenhar uma parte na capacidade de igreja. Toda faculdade do espírito, toda a capacidade física, deve ser conservada forte e ativa para o serviço de Cristo. Deve-lhes ser ensinado a amar a verdade, porque é a verdade; devem ser santificados pela verdade, para que possam suportar a grande revista que logo terá lugar para determinar a habilitação de cada um para entrar na mais elevada escola e tornar-se membro da família real, filho do Pai celestial.” Orientação da Criança, pp. 481,482.

Família terreal, símbolo da família do Céu

A família da terra é uma representação da família celestial. No seio do lar é onde a criança deve aprender as lições mais importantes para o desenvolvimento de um caráter que lhe permita a adaptação na família celestial. Pais como filhos devem aprender a lutar contra as tentações e o pecado, avançando de vitória em vitória para poderem transpor este mundo e habitarem nas mansões que Jesus tem preparado para todos os vencedores no poder de seu nome.

No lar deve existir amor, esse amor que une os corações de cada membro com fortes vínculos. O amor é a lei do céu que une a Divindade à humanidade. A família deve ser um centro de santidade onde se desenvolva o caráter, na semelhança do de Jesus. O lar é um refúgio contra as tentações e um amparo, onde seus membros procuram consolo e proteção, porque intercedem a Deus em oração, assim como no lar celestial Jesus intercede pelos que aceitam a salvação.

Em seu evangelho João registrou que “Ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia: e estava ali a mãe de Jesus. E foi convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas.”  João 2.1-2.   Com sua presença Jesus confirmou a santidade da relação matrimonial, pois ele “veio para restaurar, purificar e enobrecer cada elo com seu puro afeto, para que a família da terra pudesse converter-se em um símbolo da família celestial.” A Fim de Conhecê-Lo, p. 42.

“Somente a presença de Cristo pode fazer felizes os homens e as mulheres. Cristo pode transformar todas as águas comuns da vida em vinho celestial. O lar então se transforma em um Éden de bem-aventurança, e a família, em um belo símbolo da família celestial.”  O Lar Cristão, p. 25.

“A família cujos membros amam a Deus e uns aos outros, que não se deixam provocar, são longânimos, pacientes, bondosos, é um símbolo da família mencionada acima. Os membros reconhecem ser parte da companhia do Céu. São ensinados pelas leis da mútua dependência a firmar-se no grande Cabeça da igreja”. Olhando para o Alto, MM. 1983, p. 27.

O grande objetivo da família cristã é a preparação para unir-se à família celestial. Esta obra envolve um processo de educação do caráter. O plano de Deus é que cada membro da família humana remida pelo sangue de seu Filho possa irradiar em sua vida, em seu caráter os atributos divinos provistos pela graça. O semblante amável, as palavras alegres e cheias de graça, a disposição de serviço, a empatia por aqueles que sofrem e estão doentes, os atos bondosos com as crianças e os idosos, o trato caridoso e mutuo com os membros da igreja, e ate o cuidado com os animais domésticos, demonstram aos homens e aos anjos que a família humana remida é parte da grande família celestial, e um símbolo dela, enquanto dure a nossa peregrinação neste mundo.  

Reconstruindo o altar

Devido ao pecado e à apostasia, o Israel dos tempos de Elias tinha derribado o altar do Senhor, 1 Reis 19.10, e por causa do grande zelo que ele sentia pela causa de Jeová, desafiou os profetas de Baal, “e reparou o altar do Senhor, que estava quebrado. E Elias tomou doze pedras, conforme ao número das tribos dos filhos de Israel... E com aquelas pedras edificou o altar em nome do Senhor.” 1 Reis 18.30-32.

O altar é um símbolo da adoração verdadeira, e a sua reconstrução com as pedras em ruínas espalhadas significa que cada membro da família é chamado a ser parte do altar doméstico e do tabernáculo de Cristo que é sua igreja, seu próprio corpo. Foi por este motivo que Pedro escreveu para a igreja a seguinte afirmação: “Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.” 1 Pedro, 2.5.

O crente verdadeiro é “pedra viva” no altar de Deus, e ao mesmo tempo sacerdote espiritual, como na afirmação de Isaías: “Vós sereis chamados sacerdotes do Senhor, e vos chamarão ministros de nosso Deus” Isaías 61.6, “para oferecer sacrifícios espirituais a Deus por Jesus Cristo.”  Quais são esses sacrifícios que o crente pode apresentar a Deus?  Com toda evidência, os cânticos, as orações, o estudo da palavra de Deus, as ofertas generosas, o serviço e trabalho missionário, a obediência, as faculdades superiores do ser, os dons e talentos, o tempo; em soma, tudo o que tem e o que é.

Nos altares do passado os sacrifícios oferecidos eram complementados com incenso aromático, de modo que desde muito longe os viandantes percebiam o agradável aroma da oferta. Cada membro da família, cada sacerdote espiritual deve também exalar o aroma do amor de Deus em sua vida, “Porque para Deus somos o bom cheiro de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem. Para estes, certamente cheiro de morte para morte;  mas para aqueles, cheiro de vida para vida.” 1 Coríntios 2.15,16. “Se temos o amor de Deus em nosso coração, manifestar-se-á em nossa vida. O suave aroma de Cristo nos rodeará, e nossa influência elevará e beneficiará a outros.” O Caminho a Cristo, p. 82.

Queira Deus abençoar cada família, pais e filhos, para que ela se converta em um altar de verdadeira adoração ao nosso Deus Jeová, em centro de luz celestial para iluminar o mundo que permanece em trevas, e em fonte de inspiração e poder, a fim de que seus membros possam crescer em graça, “para que segundo as riquezas de sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior... E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.” Efésios 3. 16, 19. Amém.

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NO

PODER DA PALAVRA

 

Lauro C. S. Vasconcelos

 

“De todos os dons que Deus confiou aos homens, nenhum é mais precioso do que o dom da palavra.” Testemunhos Seletos, vol. 2 p. 552.

 

INTRODUÇÃO

 

Falar, do latim fabulare, é articular e dizer palavras com lógica; uma capacidade concedida somente aos seres humanos, pois dentre todos os seres criados na Terra, ele é o único capaz de se comunicar consigo mesmo e com os outros. Papagaios imitam sons, mas não falam. Os macacos emitem grunhidos e ficam muito distantes do ser humano quando se trata de comunicar idéias e fatos.

E essa capacidade de relacionamento que a palavra nos dá é que a torna tão poderosa e capaz de modificar ações, intenções, vidas e até mesmo a forma como nos organizamos em sociedade.

Pela fala, o ser humano guarda traço de semelhança com o Criador. Quando Ele fala, tudo vem a existir pelo seu Logos eterno. Mantendo a devida dimensão humana, podemos dizer que, através da fala, somos também poderosos. Quando falamos, podemos criar ou destruir, estabelecer ou desestabilizar, enobrecer ou rebaixar. Vejamos como:

 

1.     1) PODER NEGATIVO DA PALAVRA

 

1.     a) Davi, exemplo do poder da palavra sobre quem a pronuncia

"Tornará a dar o quadruplicado" II Samuel 12.6 foi a sentença dada por Davi a si mesmo, sem o saber, ouvindo a parábola do profeta Natã. Segundo a lei (Êxodo 22.1) e de conformidade com sua própria sentença foi ele condenado. Quatro de seus filhos deveriam cair; sucessivamente foi se cumprindo sua auto-sentença:

1º - O filho de Bate-Seba nasceu, e morreu logo depois (2 Samuel 12.15-25).

2º - Amon foi morto pela espada de Absalão (2 Samuel 13.23-36).

3º - Joabe matou o rebelde Absalão (2 Samuel 18.9-18).

4º - Depois da morte de Davi, Salomão mandou que Adonias fosse morto (1 Reis 2.13-25).

Isto sem contar Tamar, deflorada pelo seu irmão Amon, ato vingado pelo seu outro irmão Absalão.

O poder das palavras de Davi cumpriu-se totalmente em sua vida, mas a história se repete e milhares de pessoas atraem, com suas palavras maldição sobre si e sobre o próximo. Assim como no caso de Davi a Bíblia apresenta outras maneiras de nossas palavras serem uma maldição:

1.     Difamação:

“Malho, e espada, e flecha aguda é o homem que levanta falso testemunho contra o seu próximo.” Provérbios 25.18.

Definição:Tirar a boa fama ou o crédito de; caluniar; desacreditar publicamente; infamar.

“Foram os cristãos autorizados por Deus a criticarem-se e condenarem-se mutuamente? Será honroso, ou mesmo honesto, extrair dos lábios de alguém, à guisa de amizade, segredos que lhe foram confiados, e em seguida fazer reverter em seu prejuízo o conhecimento assim alcançado? Será caridade cristã, apanhar todo boato que por aí flutue, desenterrar tudo que lance suspeita sobre o caráter de outro, e então ter prazer em empregá-lo para o prejudicar? Satanás exulta quando pode difamar ou ferir um seguidor de Cristo. Ele é o ‘acusador dos irmãos’. Deverão os cristãos ajudá-lo em sua obra?” Testemunhos Seletos, vol. 2 p. 23.

“Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do irmão, ou julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz.” Tiago 4.11.

1.     Calúnia:

”Nos últimos dias sobrevirá tempos difíceis; pois os homens serão... caluniadores... Foge também destes”  2 Timóteo 3.15.

Definição: Difamar, fazendo acusações falsas, Mentira, falsidade, invenção.

“Lembrem-se os que se deleitam em lançar palavras de calúnia e falsidade contra os servos de Cristo, de que Deus é testemunha de seus atos. Suas arremetidas caluniosas não profanam vasos destituídos de alma, mas sim o caráter daqueles que Cristo adquiriu por Seu sangue. A mão que traçou as letras nas paredes do palácio de Belsazar, mantém fiel registro de todo ato de injustiça ou opressão cometido contra o povo de Deus.” Testemunhos Seletos, vol. 2, p. 86.

“Não dirás falso testemunho contra o teu próximo”  Êxodo 20.16.

”Seis cousas o Senhor aborrece... testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre os irmãos.” Provérbios 6.16, 19.

 

iii)  Murmuração:

“...As vossas murmurações não são contra nós, e sim contra o Senhor.” Êxodo 16.8.

Definição: Soltar queixumes; lastimar-se em voz baixa; resmungar,

“Quem dera pudessem homens e mulheres tão-somente ver e perceber o quanto sua incredulidade e queixosas murmurações exaltam a Satanás e lhe dão honra, enquanto roubam de Jesus Cristo a Sua glória na obra de salvá-los, total e completamente, de todo pecado!” Meditação Matinal 2002, dia 30/04 p. 126.

“Não murmureis como alguns murmuraram, e foram destruídos pelo exterminador.” 1Coríntios 10.10.

As conseqüências do pecado de Davi mostram um fato importante. Deus pode perdoar o pecador, sem tirar todas as suas conseqüências. Há muitas pessoas arrependidas de seus pecados que ainda vão ficar muitos anos encarceradas. Há famílias destruídas por causa de pecados já confessados e perdoados por Deus. Deus pode perdoar um assassino, mas este perdão não ressuscita a vítima. Ele pode perdoar a mãe que abusou álcool ou outras drogas durante sua gravidez, mas a criança que nasceu com defeitos físicos ou mentais por causa desses vícios continua sofrendo, assim sendo, não podemos permitir em nosso meio os caluniadores, murmuradores, difamadores e fofoqueiros em geral, pois além de trazer maldição para si deixam um rastro de destruição por onde fazem sua maligna obra, trazendo conseqüências eternas nas almas compradas com o sangue de Cristo, trazendo discórdia e separação em nossas igrejas.

“Deve a porta mental ficar fechada às fofocas. Por que não deveríamos de, em vez de permitir que a inveja ou a suspeita penetrassem no coração, dirigir-nos aos nossos irmãos e, depois de franca mas bondosamente lhes expor o que ouvimos de deprimente em relação ao seu caráter e influência, orar com eles, e por eles? ...” Meditações Matinais, 1965 dia 27/06 p. 184.

"O mexeriqueiro revela o segredo; portanto, não te metas com quem muito abre os lábios" Provérbios 20.19. 

Ao aceitarmos o Senhorio de Jesus sobre nossas vidas damos a Ele a autoridade para transformar nossos padrões de conversação. Ao invés de ferir as pessoas com nossas palavras, desejaremos usá-las para ajudar, encorajar, animar, consolar e estimular tais pessoas. Um cuidado especial devemos ter com aqueles que trabalham diretamente na obra de Deus, como os pastores, obreiros, colportores e leigos no ministério:

“O Espírito não poderá nunca ser derramado enquanto os membros da igreja nutrirem desarmonia e amargura uns contra os outros. Inveja, ciúmes, ruins suspeitas e maledicências, são coisas de Satanás, e barram eficazmente o caminho à operação do Espírito Santo. Coisa alguma neste mundo é tão preciosa para Deus como Sua igreja. Coisa alguma é por Ele guardada com tão cioso cuidado. Coisa alguma ofende tanto ao Senhor como um ato que prejudique os que Lhe estão fazendo o serviço. Ele chamará a contas todos quantos ajudam Satanás em sua obra de criticar e desanimar.” Testemunhos Seletos, vol. 2 p. 381.

 

1.     b) Como atuar quando sabemos o pecado de nosso irmão?

 

Tendo em consideração que a igreja também é uma sociedade, pois somos uma sociedade que vivemos sobre um conjunto de regras, devemos ter uma atitude ética para que a sociedade alcance o objetivo proposto.

“Para o cristão, a ética pode ser entendida como um conjunto de regras de conduta, aceitas pelos cristãos, tendo por fundamento a Palavra de Deus. Para os que crêem em Jesus Cristo, como Salvador e Senhor de suas vidas, o certo ou o errado devem ter como base a Bíblia Sagrada, considerada como ‘regra de fé e prática’, conforme bem a definiram Lutero e outros reformadores.” Elinaldo Renovato de Lima, Ética cristã, p. 8.

 

Vejamos alguns princípios éticos com relação ao pecado entre cristãos:

 

1.     i) Usar SEMPRE o critério bíblico

“Ora, se teu irmão pecar, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão; mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada. Se recusar ouvi-los, dize-o à igreja; e, se também recusar ouvir a igreja, considera-o como gentio e publicano.

“Em verdade vos digo: Tudo quanto ligardes na terra será ligado no céu; e tudo quanto desligardes na terra será desligado no céu.” Mateus 18.15-18.

“Seja qual for a natureza da ofensa, ela não impede que se adote o mesmo plano divino para dirimir mal-entendidos e ofensas.” Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 201.

“Tratando com membros que praticam faltas, o povo de Deus deve seguir estritamente as instruções dadas por Jesus no décimo oitavo capítulo de Mateus. Mat. 18.15-18.” Obreiros Evangélicos, p. 498.

Destaque especial para as palavras “ganhaste a teu irmão” ao final de cada etapa estipulada no texto bíblico, “seja qual fora a natureza”; e “estritamente” utilizada pela serva do Senhor falando acerca deste tema, não deixando assim nenhuma dúvida de que este é o plano de Deus para solução de problemas pessoais na igreja.

 

1.     ii) Não envolver terceiros

“Quer a ofensa seja, quer não seja entre vós e a pessoa acusada, a ordem de Cristo é a mesma. Vosso irmão carece de auxílio. Dizei-lhe a ele, e não a qualquer outra pessoa, que circulam boatos a seu respeito. Dai-lhe oportunidade para explicar-se. É possível que os rumores sejam falsos, e que as dificuldades possam ser ajustadas mediante alguma explicação bem simples.” Meditações Matinais, 1968 dia 12/10 p. 292.  

“A boca do justo é manancial de vida...” Provérbios 10.11.

"Por que dás tu ouvidos às palavras dos homens que dizem: Davi procura fazer-te mal?" I Samuel 24.9.

Muitos problemas podem ser evitados se esta regra bíblica for seguida: “entre tu e ele só” pois quanto mais pessoas souberem, mais fácil será para que elas demonstrem simpatia por uma das partes, distanciando-se assim da outra. Podemos abrir mão daqueles que foram comprados com o sangue de Cristo por problemas com terceiros?

É pecado escutar fofocas: “...Os ouvidos não devem ser contaminados por rumores que bisbilhoteiros queiram nos fazer ouvir, pois não só os levarei a pecar ao permitir que falem das faltas dos outros, mas eu própria cometo pecado ao ouvi-los...” (Olhando para o Alto, MM.1983, pág. 231) muito mais é propagá-las.!

 

iii) Não falar sobre pecados particulares já corrigidos

 

Outra questão de importância neste tema é saber que fere a ética cristã, trazer à tona pecados de irmãos usando algum erro já corrigido para difamar o irmão ou destruir a sua reputação: "O que encobre a transgressão adquire amor, mas o que traz o assunto à baila separa os maiores amigos" Provérbios 17.9. A idéia de encobrir o pecado não é de esconder, justificar ou ignorá-lo (Provérbios 17.15). O pecado é coberto quando o pecador se converte do caminho errado (Tiago 5.19-20) e uma vez convertido, este pecado não deve ser mais lembrado, como diz o texto bíblico: “ganhastes a teu irmão”!

 

1.     2) PALAVRA COMO BÊNÇÃO

Para o cristão a palavra pode ser uma grande fonte de bênção para a vida, foi a palavra divina, Jesus, a expressão encarnada da bênção de Deus que tornou possível a salvação, a encarnação da vontade divina e do caráter divino, do poder ativo na transformação da vida dos homens. Jesus foi a expressão vivente da mente, da vontade e do caráter de Deus.

O que sai da boca onde o coração encontra a mais alta expressão da palavra divina?

 

1.     a) Palavras de louvor

 

É no ambiente de louvor que se estabelece a adoração ao Criador e Redentor. Esta é a linguagem em numerosos salmos e cânticos da Bíblia. Ao adorar a Deus, o adorador é fascinado pelo Seu caráter perfeito, pleno de todas as virtudes que expressam o supremo bem. Podemos louvar a Deus através de gestos e movimentos; até pelo silêncio louvamos o Criador. Mas nossos atos de louvor não serão plenos de beleza e sentido se as palavras estiverem ausentes. É com palavras que dizemos a Deus que invocamos a Sua presença, com elas entoamos belos cânticos e sinceras orações.

Há muitos motivos para louvar a Deus!

 

1.     b) Palavras de Graça

“Andai em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade.  A vossa palavra seja sempre com graça,” Colossenses 4.5-6.

Ao aconselhar a igreja de Colossos Paulo ressalta que eles deveriam aproveitar cada oportunidade para exercer o dom da fala com o emprego de palavras agradáveis, temperadas com sal. A quem deveriam ser dirigidas tais palavras? “Aos que estão de fora”.

Cada um de nós pode exercer grande influência sobre aqueles que ainda não conhecem o amor de Deus, e como nosso grande modelo podemos dizer:

"Nem Eu também te condeno; vai-te e não peques mais.” João 8.11.

Estas foram as palavras que levaram a mulher pecadora a se atirar aos pés de Jesus, soluçando em seu reconhecido amor e confessando com amargo pranto os seus pecados.

Como discípulos, devemos examinar-nos para saber o que está faltando como ingrediente para falarmos palavras temperadas com graça.

 

1.     c) Palavras de Amor

“Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.”  Efésios 4.15.

“Jesus não suprimia da verdade uma palavra que fosse, mas sempre a proferia com amor. Em Seu convívio com o povo exercia o maior tato, dispensando-lhes atenta e bondosa consideração. Não era nunca rude; jamais pronunciava desnecessariamente uma palavra severa; nunca motivava dores desnecessárias a uma alma sensível. Não censurava as fraquezas humanas. Dizia a verdade, mas sempre com amor.” O Desejado de Todas as Nações,  p. 353.

Como povo de Deus temos uma gama de verdades que por séculos ficaram adormecidas, e cabe a nós a tarefa de fazê-las chegar ao mundo, como apresentaremos estas verdades?

Algum tempo atrás escutei de um irmão:

"Encontrei com um (....) e dei-lhe uma biblada na cabeça que saiu tonto e de boca fechada". Acontece que até hoje nenhuma alma foi ganha para Cristo através do método de "bibladas na cabeça".

O mesmo fogo que serve para nos aquecer pode também nos queimar dependendo de como seja usado.

Sejamos uma fonte de amor e cuidado ao apresentarmos a verdade presente!

 

CONCLUSÃO

 

Alfredo um dia soube que Josefa estava internada com uma grave enfermidade, logo se lembrou de que ha pouco tempo tinha levantado um falso testemunho contra ela que lhe havia causado diversos problemas, inclusive a perda do seu emprego. Com a consciência pesada resolveu visitá-la no hospital, pois se suspeitava que ela não resistiria à enfermidade.

Chegando lá, quando Alfredo lhe pede perdão, ela em resposta, diz que gostaria que ele lhe trouxesse um travesseiro de penas. Então deveria subir ao último andar do hospital, rasgar o travesseiro e jogar todas as penas para baixo, pedido que foi atendido prontamente.

Ao voltar ao quarto onde estava Josefa, ela lhe pede para que recolha todas as penas de volta.

Impossível? Exatamente!

Esta é a maneira com que nossas palavras atuam, podemos utilizá-las como uma torrente de bênçãos.

Louvando continuamente a Deus pelas Suas grandes obras na nossa vida, falando com graça e amor. Nossas palavras podem, tal qual as penas, que ao serem jogadas ao vento alcançam lugares inimagináveis, serem uma grande bênção e chegarem a milhares de pessoas. Lindo será no céu, quando alguém te abraçar e disser: - obrigado irmão, Deus te usou para que eu chegasse aqui.

Por outro lado Satanás se alegra quando vê na igreja difamação, calúnias, murmurações e fofocas em geral, pois sabe que por este motivo milhares de pessoas terão o mesmo destino que ele, o pai de toda mentira.

Mais uma vez, temos que tomar uma decisão, nossa boca louva a Deus ou é instrumento de desunião e discórdia na igreja?

Oremos para que o Paracletos divino transforme nossa língua e assim sejamos uma fonte de bênçãos para nós e para outros. Amém.

 

 

 

 

 

 

 

*******

 

<< Anterior - Próximo >>

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NA

APARÊNCIA E CONDUTA CRISTÃ

 

Pr. Pedro Fediuk

 

 

 

Os 188.888.000 habitantes do Brasil ( segundo senso de 17/05/2007) são formados de 60 etnias. Vindos de terras além mar, aqui chegaram italianos, alemães, japoneses, portugueses, africanos, poloneses, ucranianos, russos, coreanos, japoneses, etc. Os que aqui  aportaram trouxeram costumes, crenças, superstições, cantos, festas, indumentária, lendas, artes, etc. Sem mencionar a culinária. Onde aprendemos as delícias da cozinha brasileira? O cuscuz, o chucrute, o pierog, a pizza, o biju, o sushi, etc. Cada etnia influencia mais ou menos com seu folclore. Cada um destes imigrantes procura fazer conhecidas as coisas belas de seu país. Torcem pelo país de origem, mesmo vivendo tão distante e há tanto tempo.

Mediante Cristo, Deus conferiu ao homem uma influência que lhe torna impossível viver para si próprio. Todos estamos circundados de uma atmosfera própria, que pode estar carregada do poder vivificante da fé, do ânimo, da esperança e perfumada  com a fragrância do amor. Ou pode estar pesada e fria com as nuvens do descontentamento e egoísmo, ou intoxicada com o contato mortal de um pecado acariciado. Pela atmosfera  que nos envolve, toda pessoa com que nos comunicamos é consciente ou inconscientemente afetada.

 

INFLUÊNCIA

Ainda que leve e embora intencional ou não, que cada ser vivente exerce sobre os outros, produz efeito para o bem ou a influência para o mal. É uma verdade muito solene que ninguém pode viver uma vida  independente. A influência que exercemos certamente erguera outros ou lançá-los-á   abaixo. Um menino perverso na escola pode em pouco tempo arrastar outros  a seu baixo nível. Por outro lado, como escreveu Shakespeare: “Quão  longe aquela pequena vela  lança seus raios! Assim resplandece uma boa ação  num mundo mau.” Paulo deve ter tido em mente a influência  quando escreveu aos Gálatas: “Contudo, basta só uma pessoa errada entre vocês para contaminar todas as outras” Gl. . [ Bíblia Viva]

O que o mundo desesperadamente necessita hoje é de homens e mulheres de santa influência nas ruas, nas igrejas, em casa, nas fábricas, e em todos os lugares onde outros homens e mulheres vivem e trabalham, conquistam e sofrem, e morrem sem Cristo  e sem esperança. Existe grande escassez de influência cristã entre os que vemos cada dia, pois os campos estão maduros e prontos para a ceifa.

 

NO MUNDO, MAS NÃO DO MUNDO

 

“Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas, mas vendo-as de longe e crendo-as  e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. Porque, os que dizem, claramente  mostram que buscam uma pátria. E se, na verdade, se lembrassem daquela  donde haviam saído, teriam oportunidade de tornar. Mas agora desejam uma  melhor, isto é, a celestial. Pelo que também Deus se não envergonha deles, de se chamar seu Deus, porque  já lhes preparou uma cidade.” Hebreus 11.13-16

Embora estivessem  no mundo, compreenderam que não eram do mundo. Tinham em vista outro objetivo, muito mais grandioso. Percebiam a qualidade transitória  das coisas desta vida presente, e a permanência das coisas que, até então, viam somente “de longe” pela fé . Viveram para o futuro, não para o presente.

Baseados nas promessas de Deus renunciaram  ao presente e viveram exclusivamente para o futuro. Declararam-se “estrangeiros e peregrinos na terra.”  Os valorosos do passado deixaram claro que não consideravam este presente mundo como seu lar. Compreenderam que há mais pelo qual se viver do que este mundo oferece.

 

UMA VISÃO IMPORTANTE

“Foi-me mostrado nosso perigo como um povo, de nos assemelharmos ao mundo, e não à imagem de Cristo. Achamo-nos agora nas próprias fronteiras do mundo eterno; mas é desígnio do adversário de nossa alma levar-nos a adiar para longe o fim do tempo. Satanás assaltará de todas as maneiras possíveis os que professam ser observadores dos mandamentos de Deus, e estar aguardando a segunda vinda de nosso Salvador nas nuvens do céu, com poder e grande glória. Ele levará o maior número possível a adiarem o dia mau e tornarem-se em espírito semelhantes ao mundo, imitando-lhe os costumes. Senti-me alarmada quando vi que o espírito do mundo controlava o coração e a mente de muitos que fazem alta profissão da verdade. Abrigam o egoísmo e a condescendência consigo mesmos; mas não cultivam a verdadeira piedade e a genuína integridade.” Exaltai-O, MM.1992, p. 352.

 

SINAL VERMELHO – PERIGO

“Ao olhar ultimamente ao redor em busca dos humildes seguidores do manso e terno  Jesus, minha mente tem sido muito exercitada. Muitos que professam estar aguardando  a iminente volta de Cristo estão se conformando  com este mundo  e buscando mais fervoroso aplauso dos que os cercam do que a aprovação de Deus.” Primeiros Escritos, p. 107.

“Receio que estejam adormecidos, e tão conformados com o mundo que seria difícil  discernir entre  o que serve a Deus  e o que  o não serve. Está aumentando a distância  entre Cristo e Seu povo, e diminuindo  entre eles e o mundo. Os sinais distintivos  entre o professo  povo de Cristo e o mundo quase desapareceram.” Testemonies Vol. I pág. 277

 

A LINHA DE DEMARCAÇÃO ENTRE A IGREJA E O MUNDO DEVE SER CLARA

“É chegado o tempo em que , a qualquer custo, devemos assumir a posição que Deus nos confiou.

“Os Adventistas do Sétimo Dia devem agora pôr-se como separados e distintos, povo chamado pelo Senhor  Seu próprio. Enquanto isso não fizerem, não pode Ele ser glorificado neles. A verdade e o erro não podem andar em parceria. Coloquemo-nos agora onde Deus disse que devemos estar. ...Devemos porfiar pela unidade, mas não no baixo nível das praxes mundanas e da união com as igrejas populares.” Mente, Caráter e Personalidade, vol. 2, p.559

“Não devemos modelar-nos pelo critério ou pelo exemplo do mundo. O povo de Deus ouvirá conversações sobre a execução de métodos e planos errôneos. Serão proferidas palavras irreverentes. A religião tornar-se-á objeto de zombaria. Ouvi a voz de Deus: ‘Filho Meu, se os pecadores querem seduzir-te, não o consintas.’ Prov. 1.10. Os que são controlados pelo Espírito de Deus precisam manter despertas a suas faculdades perceptivas. Tende coragem para fazer o que é correto.” Este Dia com Deus,  M.M. 1980, p. 282.

“Uma  profunda e completa obra de reforma é necessária  na Igreja Adventista do Sétimo Dia. Não é permitido ao mundo corromper os princípios do povo de Deus, observador dos mandamentos. Devem os crentes exercer uma influência que dê testemunho do poder dos princípios celestiais. Os que se unem à igreja tem de dar prova de uma mudança de princípios. A menos que isso se faça, a menos que seja cuidadosamente preservada a linha de demarcação entre a igreja e o mundo, o resultado será a assimilação do mundo.” Mente, Caráter e Personalidade, vol. 2, p.559

 

MODA, UMA ARMADILHA AO POVO DE DEUS

“Foi o adversário de todo o bem que instigou à invenção das sempre mutáveis modas. Coisa alguma deseja ele tanto como ocasionar a Deus pesar e desonra mediante a miséria e a ruína dos seres humanos. Um dos meios por que ele o consegue mais eficazmente são as invenções da moda, que enfraquecem o corpo da mesma maneira que debilitam a mente e amesquinham a alma..”  A Ciência do Bom Viver, p. 291.

 

INVENTOR DAS MODAS

“Satanás está sempre inventando modas que não podem ser seguidas sem sacrifico de dinheiro, tempo e saúde.” Mensagens aos  Jovens, 359.

“Satanás inventou as modas que deixam as pernas e braços expostos.” Testimonies Vol. II 532.

Conforme nossos princípios, no Manual de Normas e funções à  página 10 nos diz: “O comprimento das vestes femininas não deve ser inferior a metade da panturrilha da perna; rejeitamos o uso de enfeites e jóias, vestidos decotados e transparentes que propendem a nudez, calça masculina e feminina  que ofende e altera a imagem e identidade cristã.

 

MODA SEPARA O POVO DE DEUS

“A moda está deteriorando o intelecto e carcomendo a espiritualidade de nosso povo. A obediência à  está penetrando nossas igrejas Adventistas do Sétimo Dia, e fazendo mais que qualquer outro poder para separar nosso povo de Deus.”  Testemunhos Seletos, vol. 1, p. 600.

Como igreja devemos rejeitar o uso de toda moda que ofenda e altere a imagem e identidade cristã e apague a distinção entre os membros da igreja verdadeira e as igrejas  apóstatas e o mundo.

QUE SE DIZ DAS MULHERES QUE SEGUEM A MODA?

“A ostentação do vestuário extravagante aumenta em demasia e muitas vezes incute concupiscência no coração que o usa, despertando baixas paixões no coração do que o contempla.” D.E.P. p. 04.

 

QUE PODE DESPERTAR UM VESTUÁRIO EXTRAVAGANTE?

“As mulheres que seguem a moda são inúteis para os nobres fins da vida; são de caráter débil, tem pouca vontade moral e pouca energia física, e seu único ideal é despertar admiração. Morrem antes do tempo e sua falta não é lamentada, porque não foram uma benção para ninguém.” D.E.P. pág. 60

 

TERRÍVEL PECADO QUE PESA SOBRE NÓS

“Há sobre nós, como um povo, um terrível pecado de termos permitido aos membros da nossa igreja de se vestirem de maneira incoerente com sua fé.”  Testemunhos Seletos, vol. 1, p. 600.

 

TRÊS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS BÍBLICAS DE UM TRAJE CRISTÃO

“Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas ou vestidos preciosos.” I Tim 2.9

 

1.     Honestidade: É não querer parecer o que não é, através de pinturas de cabelos e unhas, maquiagens, depilações, etc.

“A vida de nove décimos dos adeptos da moda é mentira viva... Pois desejam parecer o que não são.” Mensagens aos Jovens, p. 359.

 

1.     Modéstia: É não chamar atenção sobre si com ostentação de jóias e enfeites. “Tudo que vise chamar a atenção sobre a pessoa ou excitar  admiração, está excluído do traje modesto recomendado pela palavra de Deus. Isto proíbe ostentação nos vestidos, cores berrantes, profusa ornamentação.” Mensagens aos Jovens, p 351.

 

1.     Pudor: Virtude que evita a falta de decoro. Vestido sem mangas, decotes exagerados, roupas transparentes, curtas, coladas no corpo, salto alto dos sapatos, etc. “A ostentação do vestuário extravagante aumenta  em demasia e muitas vezes incute concupiscência no coração do que a usa, despertando baixas paixões no coração do que a contempla.” II T. 645  D.E.P. 104

 

ÀS MULHERES QUE QUEREM IMITAR O SEXO OPOSTO NAS VESTIMENTAS

“Há ainda outra moda de vestido que é adotado por uma classe de pessoas chamadas reformadoras do vestuário. Imitam o sexo oposto, o mais possível. Usam casquete, calças, colete, casaco e botas, sendo esta a peça mais sensata do traje... Nessa moda de vestuário foi invertida a ordem de Deus, e desrespeitadas Suas direções especiais. Deut. 22.5: ‘A mulher não usará roupa de homem, nem o homem veste peculiar à mulher; porque qualquer que faz tais coisas é abominável ao Senhor, teu Deus.’ Esta moda de vestuário Deus não deseja que Seu povo adote. Não é traje modesto, e absolutamente não se adapta a mulheres modestas e humildes, que professam ser seguidoras de Cristo. As proibições de Deus são consideradas levianamente por todos os que advogam a remoção da diferença de vestuário entre homens e mulheres...

“Designava Deus que houvesse clara distinção entre o vestuário do homem e da mulher, e considerou a questão de bastante importância para dar direções explícitas a esse respeito; pois se ambos os sexos usassem o mesmo vestuário isto causaria confusão, e grande aumento de crime. Paulo pronunciaria uma repreensão, fosse ele vivo hoje, se contemplasse mulheres que professam piedade usando esta moda de vestuário.” Mensagens Escolhidas, vol. 2 p. 477,478.

ENFERMIDADE MORAL

“A idolatria praticada em matéria de vestuário é enfermidade moral.” Testemunhos Seletos, vol. 2, p. 393.

DE ONDE VEM O USO DE PINTURAS

“E Jeú veio a Jezreel, o que ouvindo Jezabel, se pintou em volta dos olhos, e enfeitou a cabeça e olhou pela janela.” II Reis 9.30.

A Bíblia relata: quando a ímpia rainha-mãe Jezabel ouviu que Jeú tinha acabado de matar seu filho Jorão e seu neto Acazias, rei de Judá; percebeu que sua hora final tinha chegado. Qual foi a sua decisão quando pressentiu o que viria a seguir? Certamente não foi de arrependimento e humildade. Desafiadora até o fim, preferiu usar cosméticos para sua apresentação final, o que diz alguma coisa acerca dessa mulher perdida. As sobrancelhas e pestanas decoradas, o penteado “enfeitado”, não se destinavam a realçar a natureza, mas eram sinais de sua arrogante rebelião contra a predição divina através do profeta Elias de que todos os descendentes de Acabe adoradores de Baal eventualmente perderiam sua vida. Sua apresentação final era um índice do seu caráter. Este evento ocorreu em 884 a.C., ou seja, há quase 2900 anos. Desta antiga história podemos aprender uma lição da natureza humana. A atitude de Jezabel foi de obstinada resistência a Deus e ao Seu povo.

Como igreja de Deus que vive os momentos mais solenes devemos nos levantar contra o uso de jóias, pinturas de cabelos, unhas, maquilagens e roupas que não condizem a um professo cristão.

 

AOS AMANTES DOS ENFEITES E JÓIAS

“Enquanto vos apresentais semelhantes ao mundo, tão formosos como  possível, lembrai-vos de que o mesmo corpo pode dentre em poucos dias servir de alimento aos vermes, e, que, enquanto vos enfeitais para satisfazer vosso gosto e agradar a vista, estais morrendo espiritualmente. Deus aborrece o vosso vão e ímpio procedimento e vos considera como sepulcros caiados, cheios de podridão.” D.E.P. 99.

“... se queremos adornos, as graças da mansidão, da humildade, da modéstia e da prudência convém a todas as pessoas, em todas as classes e condições de vida.” Mensagens aos Jovens, p. 360.

 

CONCLUSÃO – OREMOS

Perdoa-nos, Senhor por sermos tão sensíveis a coisas que não têem importância e tão insensíveis às que a tem. Que nossa preocupação não seja apenas pelo ritual, mas, sim pela abertura dos nossos corações. Quando estivermos errados corrige-nos querido Senhor; e, quando estivermos certos ajuda-nos a manter a nossa conduta. Em nome de Jesus. Amém.

 

 

 

*******

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NA

HIGIENE

Irene S. Casimiro

 

 


 

O dicionário define higiene como: ramo da Medicina que estuda as inter-relações entre o homem e o meio ambiente, no sentido da preservação da saúde individual e comunitária; asseio; limpeza.

O grande amor de Deus para com seu povo peculiar em todos os tempos tem sido o motivo de ensinamentos através de leis específicas, a fim de que fosse realmente um povo diferente dos demais; uma luz no mundo de trevas e o exemplo para outras nações. Por este motivo, “cada um tem de tomar a sua posição e ser o que Deus deseja que ele seja: um espetáculo para o mundo, para os anjos e para os homens. Todo cristão deve ser uma luz, não oculta sob o alqueire ou debaixo da cama, mas posta no velador, para que ilumine a todos que estão na casa.” Conselhos sobre Educação,  p. 94.

Para cumprirmos com este propósito do Senhor devemos obedecer também suas leis formando nosso caráter para a eternidade. Dentre as leis dadas ao antigo Israel, encontra-se  a Lei da Saúde, da qual faz parte a Higiene, com o intuito de que o povo de Deus fosse um  exemplo neste sentido; fosse um povo saudável! Diz-nos a serva do Senhor que “Grande quantidade de sofrimento poder-se-ia poupar se todos trabalhassem para evitar a doença, obedecendo estritamente às leis da saúde. Estritos hábitos de asseio devem ser observados.” Conselhos sobre Saúde, p. 61.

“Hábitos pessoais incorretos estão entre as principais causas de enfermidades. Ordem e limpeza são leis do Céu. As orientações dadas a Moisés quando o Senhor estava para declarar Sua lei sobre o Monte Sinai foram muito estritas a esse respeito. ... Foram instruídos a fazer isso, para que não houvesse entre eles impureza ao se apresentarem perante o Senhor. Ele é um Deus de ordem, e requer ordem e limpeza em Seu povo.” Cristo Triunfante, MM. 2002, pág. 113.

“Para serem aceitos aos olhos de Deus, os dirigentes do povo deviam dar estrita atenção às condições higiênicas dos exércitos de Israel, mesmo quando saíam para a batalha. Toda pessoa, desde o comandante-superior até ao mais humilde soldado do exército, era sagradamente ordenado a manter o asseio pessoal e nos seus arredores; pois os israelitas eram escolhidos por Deus como Seu povo peculiar. Comprometiam-se solenemente a serem santos no corpo e no espírito. Não deviam ser descuidosos ou negligentes em seus deveres pessoais. Deviam em todos os aspectos, manter a limpeza. Não deviam permitir coisa alguma desordenada ou insalubre em seus arredores, coisa alguma que manchasse a pureza da atmosfera. Interior e exteriormente, deviam ser puros. SDA Bible Commentary, vol. 1, pág. 1.119.”  Filhos e Filhas de Deus, MM. 1956, pág.  173.

“A necessidade do asseio pessoal foi ensinada da maneira mais impressiva. Antes de se reunirem no Monte Sinai para ouvir a proclamação da lei pela voz de Deus, foi exigido do povo que se lavassem a si mesmos, e a suas roupas. Esta recomendação foi imposta sob pena de morte. Nenhuma impureza devia ser tolerada diante de Deus.” Ciência do Bom Viver, p. 279.

Será diferente para nossos dias? Terá mudado a lei dada por Deus neste sentido? “Exige Deus pureza de coração e higiene pessoal agora, assim como o fazia ao dar instruções especiais aos filhos de Israel. Se Deus foi tão minucioso ao prescrever limpeza para aqueles que jornadeavam pelo deserto, que se achavam ao ar livre quase todo o tempo, não requer Ele menos de nós, que vivemos em casas forradas, onde as impurezas são mais observadas e têm influência mais insalubre.”  Conselhos Sobre Saúde, p. 82.

Queridos irmãos, como estamos nós neste aspecto? Analisemos nossas vidas individualmente e também como povo. Devemos estar preocupados em aprender cada vez mais sobre a Ordem e Higiene, tanto pessoal,  como do ambiente em que vivemos e nos congregamos, e também a higiene mental.  Peçamos a Deus em nossos corações para que este estudo possa ser benéfico para nossas vidas e para a vida da Igreja de Deus na terra! Que cada leitor ou assistente possa tomar em seu coração a verdadeira decisão de renovar seus votos de fidelidade a Deus também nas leis da higiene, com a qual muitas vezes não nos preocupamos, tomando-a de forma leviana e neste sentido acabamos não sendo neste mundo a luz que Deus deseja que sejamos. Lembremo-nos sempre: somos espetáculos neste mundo, sejamos exemplos dignos para exaltar o nome de nosso Criador!

I - Higiene Pessoal

 

A higiene do corpo além de ser fundamental para o intercâmbio social é importante para a  saúde. Diversas doenças, principalmente da pele, tais como: dermatoses, impetigo, larva geográfica e micose de praia são causadas pela falta de higiene.  Manter o corpo asseado e as roupas limpas, é o primeiro preceito a ser ensinado às crianças e jovens, no lar e na escola, e é um imperativo para os adultos.

“Ordem e limpeza é a lei do Céu; e para estar em harmonia com o arranjo divino, é nosso dever ser asseados e ter bom gosto.” O Lar Adventista, p. 154.

1.   Cheiro do corpo. O cheiro do corpo pode afetar o relacionamento social, como é o caso do cheiro de suor, a bromidrose, (suor malcheiroso) e do mau hálito, ou pode afetar apenas o relacionamento entre duas pessoas, como é o caso dos odores em partes íntimas.  Portanto está a necessidade do banho e demais cuidados diários. “Deve ser encarecido o valor do banho diário para promover a saúde e estimular a ação mental.” Educação, p. 200. Para aquelas pessoas que tem bromidrose deixamos um conselho: passe suco de limão nas axilas.

“O escrupuloso asseio é indispensável tanto à saúde física como à mental. Impurezas são constantemente expelidas do corpo por meio da pele. Seus milhões de poros logo ficam obstruídos, a menos que se mantenham limpos mediante banhos freqüentes, e as impurezas que deviam sair pela pele se tornam mais uma sobrecarga aos outros órgãos eliminadores.” A Ciência do Bom Viver, p. 276.

O homem possui dois tipos de glândulas sudoríparas: as glândulas écrinas, que reagem prontamente ao calor ou tensões e as glândulas apócrinas. As glândulas écrinas estão distribuídas por todo o corpo, abrindo diretamente na superfície da pele e que produzem apenas líquido refrescante para o corpo, que é um plasma incolor composto de 99% de água e 1% de outras substâncias químicas tais como: compostos de sódio, cloro, potássio, cálcio, fósforo e ácido úrico;  A secreção das glândulas apócrinas, transporta gorduras e proteínas das células para o exterior do corpo, concentram-se em certas áreas peludas: nas axilas, na parte cabeluda da cabeça, e nas regiões umbilical, pubiana e anal. O suor que produzem vaza para os folículos capilares (raiz dos cabelos), e não diretamente sobre a pele. A secreção das glândulas apócrinas é alimento para as bactérias que estão na epiderme, e os produtos do metabolismo das gorduras e proteínas secretadas, digeridas pelas bactérias, é que produzem o cheiro desagradável do suor.

Mau hálito. São apontadas causas variadas para o mau hálito. É atribuído a refluxos do estômago que alcançam a garganta, à inflamação das gengivas, à simples presença de alimentos envelhecidos retidos entre os dentes, à cárie dentária Os dentes devem ser escovados de modo a deixar os interstícios limpos (comprimindo a escova e fazendo penetrar seus fios nos espaços entre os dentes, ou usando fio-dental) e as gengivas (na parte superior e mais alta, ou na parte inferior e mais baixa)

Vamos nos analisar um pouco: não estaremos ensinando a outros sobre saúde, quando estas pessoas se esforçam para nos suportar devido nosso mau hálito? Talvez até sem perceber, por nossa falta de higiene bucal estamos dando um mau testemunho e com isto desonrando a Deus. Deixo como sugestão para mau hálito tomar água com gotas de óleo de hortelã, é muito eficiente!

2.   Cheiro das roupas. As roupas retêm o calor do corpo e por isso favorecem o suor e a conseqüente produção dos resíduos bacteriológicos que geram o mau cheiro. Mas o odor pode inclusive provir da própria roupa, e não do suor. Alguns tecidos sintéticos usados em camisas ficam mau cheirosos quando aquecidos pelo calor do corpo. Também a roupa que é lavada mas não perde todo o sabão, ou que demora a secar, principalmente na época de chuva, adquire odor desagradável.

“Muitos, enquanto se acham bem, não se dão ao trabalho de manter-se com saúde. Negligenciam o asseio pessoal, e não são cuidadosos em manter limpa sua roupa. Impurezas estão constante e imperceptivelmente saindo do corpo, pelos poros, e se a superfície da pele não for conservada em estado sadio, o organismo se sobrecarrega com substâncias impuras. Se a roupa usada não é lavada freqüentemente, e muitas vezes arejada, torna-se imunda com as impurezas que são expelidas do corpo pela perspiração sensível e insensível. E se a roupa usada não é limpa freqüentemente dessas impurezas, os poros da pele reabsorvem a matéria gasta expelida. As impurezas do corpo, se não se permitir que saiam, são devolvidas ao sangue e impostas aos órgãos internos. A natureza, para aliviar-se das impurezas tóxicas, faz um esforço por livrar o organismo - esforço que produz febres, e que se denomina doença”. Conselhos Sobre Saúde, p. 61.

Devemos ter  o máximo cuidado com a higiene da roupa principalmente para nos apresentar na presença do Senhor. Esta foi uma exigência de Deus para com Seu povo peculiar, portanto nós, os que vivemos nos últimos dias, e somos Seu povo, devemos também ser exemplo neste aspecto.

“Alguns são muito descuidados com sua pessoa. Precisam eles ser guiados pelo Espírito Santo no preparo para um Céu puro e santo. Deus declarou que ao irem os filhos de Israel ao monte, para ouvirem a proclamação da lei, deviam ir com o corpo puro e as roupas limpas. Hoje Seu povo deve honrá-Lo por hábitos de escrupuloso asseio e pureza.”  Conselhos Sobre Saúde, p. 102.

“Foi requerido do povo abstenção de trabalhos e cuidados seculares, e que tivessem pensamentos devocionais. Deus requereu também que lavassem suas vestes. Ele não é menos minucioso agora do que foi então. Ele é um Deus de ordem e requer que Seu povo sobre a Terra, hoje, observe hábitos de estrita limpeza. Os que adoram a Deus com vestes maculadas e eles próprios manchados não se apresentam diante dEle de modo aceitável. Ele não Se agrada da sua falta de reverência, e não aceitará o culto de adoradores impuros, pois insultam o seu Autor. O Criador dos céus e da Terra considerou a limpeza tão importante que disse: ‘Lavem eles os seus vestidos.’ Êxo. 19.10.”  História da Redenção, 138. Que o Senhor nos ajude para que possamos dar  o melhor de nós para glorificá-Lo.

3.   Fungos. São causa do mau cheiro nos pés.  Provocam fissuras entre os dedos ou se concentram em pequenos nódulos na base dos artelhos na micose conhecida como pé de atleta. Porém, é um cheiro diferente do cheiro produzido por bactérias a partir do suor.

4.   Cabelos. O cabelo, independentemente do estilo, deve estar sempre limpo.

5.   O rosto. O rosto é nosso cartão de apresentação principal. Contém um grande número de informações de interesse social. Uma pessoa sagaz, analisando os traços, os movimentos e o tratamento do rosto de alguém, pode intuir muita coisa sobre a sua personalidade, de modo que suas respostas em relação ao outro serão influenciadas por esses sinais. Não cabe aqui analisar essas mensagens porém apenas ressaltar os aspectos relativos à higiene.

6.   Limpeza do Nariz e da Garganta. Nunca escarre em locais privados e públicos. Não menos repugnante é aspirar ruidosamente o muco do nariz para o fundo da garganta e engolir, o que muitos fazem sem se importar onde estão, mesmo que estejam à mesa das refeições! Outro péssimo hábito é escarrar na pia do banheiro, cuja bacia, nos banheiros de restaurantes ou de locais públicos, não raro mostram restos desses fluxos orgânicos. Se já está dentro de um banheiro, a pessoa deve usar o papel higiênico para assoar o nariz e lançar o papel usado no vaso e dar descarga.

7.   Mãos e unhas. O aperto de mão quando esta está suada, suja e pegajosa e as unhas dos dedos estão crescidas e abrigam sujeira, causa repulsa, portanto o cuidado delas é indispensável.

Querido irmão e irmã, já tomaste o tempo para analisar como está tua higiene pessoal?  Em que podes mudar para servir melhor ao Senhor e ser um exemplo aos que te rodeiam?

II - Higiene do Ambiente

1.   A casa. Os compartimentos da casa devem ser mantidos varridos e encerados, livres de animais que trazem parasitas, espalham pêlos e oleosidade mau cheirosa por onde andam. Os sofás e poltronas, os carpetes e tapetes, e o assoalho devem estar limpos com produtos de limpeza adequados, de modo a que restos de comida, cabelos, gordura e células deixadas pela epiderme humana não alimentem os ácaros e não retenham a poeira que contem fezes desses minúsculos e invisíveis artrópodes.  Portanto nossa casa deve ser mantida sempre limpa e ordenada como se a cada momento fôssemos receber uma visita, porque  “Ele está em toda parte. Embora invisíveis, Seus mensageiros visitam-nos na sala de trabalho, no quarto de dormir.” Testemunhos Seletos, vol. 1 p. 588.

“Deve-se também conceder atenção à luz solar e à ventilação, à higiene do quarto de dormir e da cozinha. Ensine aos alunos que um quarto de dormir saudável, uma cozinha perfeitamente limpa, uma mesa arranjada com gosto e suprida de alimentos saudáveis, farão mais no sentido de conseguir a felicidade da família e a consideração de todo visitante sensato, do que o faria qualquer porção de mobília dispendiosa na sala de visitas.” Educação, p.. 200.

2.   O quarto de dormir. O conforto para um bom descanso não depende só de como o quarto de dormir está equipado, mas principalmente de que seja um ambiente limpo e isento de insetos parasitas. A cama deve ser estendida e a ordem mantida. O quarto deve ser varrido e pelo menos uma vez por semana passar um pano úmido no chão e nos móveis.

3.   Banheiros. Banheiro se usa de porta fechada. E deve estar sempre impecavelmente limpo.  Ao terminar de usar o banheiro, corra os olhos pelo ambiente e veja o que pode ser limpo e reposto nos lugares.

1.     Puxe a descarga – SEMPRE COM O VASO TAMPADO.

2.     Coloque os papéis no cesto, seque com um pedacinho de papel se molhou o vaso para que a próxima pessoa o encontre tão limpo como você o encontrou.

3.     Embrulhe seu absorvente antes de colocá-lo no lixo.

4.     Recolha os fios de cabelo, as cascas de feijão, as sobras de pasta de dentes e demais detritos caídos na pia.

5.     Não deixe no banheiro roupas molhadas ou usadas. Mantenha o banheiro como quando se espera uma visita, sempre.

6.     Em casa, mesmo que você não tenha sido o que esqueceu aquela roupa, não faça alarde e colabore.

7.     Se você molhou o chão não se faça de desentendido ou folgado deixando para as empregadas ou para sua mãe o que você sujou. Apanhe um pano de chão e limpe. Essas atitudes praticadas constantemente e sem se "noticiarem" ou sem se reclamar colaboram em muito para a harmonia da casa e a construção de um caráter não sujeito à preguiça e à dissimulação.

8.     Lave sempre as mãos, esfregando-as bem, após usar o banheiro.

4.   Arredores da Casa

Nunca nos esqueçamos que “estas aparências exteriores indicam o caráter das ocupações dos que vivem na casa, e não somente isto, mas o caráter religioso de seus habitantes. Impossível é alguém negligente, desordenado ser um bom cristão. Sua vida, nas coisas temporais e religiosas, é tão desordenada como seu vestuário, sua casa, pessoa e arredores.” Nossa Alta Vocação, MM. 1961, 228.

“Foi ordenada uma limpeza escrupulosa bem como uma ordem estrita por todo o arraial e arredores. Pôs-se em execução um regulamento sanitário completo. A toda pessoa que estivesse imunda por qualquer motivo, era vedado entrar no acampamento. Tais medidas eram indispensáveis para a conservação da saúde em meio de uma multidão tão vasta; e também necessário era que se mantivessem ordem e pureza perfeitas, para que Israel pudesse desfrutar da presença de um Deus santo.” Patriarcas e Profetas, p.. 375.

Oxalá, que quando o Senhor passar por nossa casa (moradia), por Sua casa (de oração)  e nos seus arredores não encontre nenhuma imundícia que Lhe impeça de estar conosco.

5.   Rua e lugares públicos:

1.     Não suje a rua jogando papéis, restos de comidas no chão.

2.     Não destrua a sinalização, os avisos, as muretas e as plantas. Não piche. Não urine nem escarre na rua.

3.     Em igrejas, escolas e locais públicos trate todos os objetos com cuidado, disponha dos móveis, por exemplo, para os fins a que se destinam: a cadeira é o local de se sentar e não a mesa ou a mureta com flores. Mesmo que o local em que você está tem serviço de limpeza, isso não significa que você não precisa recolher o papel que deixou cair fora do cesto de papéis.

Como está o nosso ambiente?  Estamos autorizados a comparecer perante o Senhor ou estamos vedados de entrar no acampamento por algum motivo? Se é assim, o Senhor ainda nos está concedendo a oportunidade de nos colocar em ordem e não sermos eliminados do povo.

 

III - Higiene Mental e Espiritual

 

Assim como cuidar da higiene do corpo para manter a saúde é imprescindível também o é  a higiene mental para manter a paz interior e porque não a saúde física e espiritual. Assim como em uma dieta se deve selecionar o que será ingerido, de acordo com as conseqüências que a ingestão de cada alimento ocasionará ao organismo, também devemos saber filtrar idéias, assuntos e imagens. Temos o controle sobre nossa mente: não podemos evitar que determinados pensamentos nasçam, mas é perfeitamente possível que impeçamos seu desenvolvimento. “Nunca te esqueças de que os pensamentos motivam ações. Atos repetidos formam hábitos, e hábitos formam o caráter. “ ... e pelo caráter é decidido nosso destino para este tempo e para a eternidade.”  “...Se não cuidarmos de nossos hábitos, não estaremos habilitados para unir-nos com os agentes celestiais na obra de salvação, nem preparados para entrar nas mansões celestes que Jesus foi preparar...” Fundamentos da Educação Cristã, 194.

A higiene mental deve ser preventiva.  Necessitamos saber escolher o que ler, o que ver e o que ouvir. Sempre teremos a opção de um livro edificante em vez de um fútil, ou de um filme que alimente a alma em lugar de angústias e medos, músicas que tragam alegria, ao invés de instigarem tristeza e depressão. Sempre será possível escolher quais lugares freqüentar, que assuntos conversar, que atitude mental tomar face às mais diversas situações da vida.

“A memória sofre grande detrimento com as leituras mal escolhidas, as quais tendem a desequilibrar as faculdades de raciocínio, criam um estado de nervosismo, fadiga mental e prostração de todo o organismo. Caso a imaginação seja constantemente superalimentada e estimulada com literatura de ficção, torna-se em breve um tirano, controlando todas as outras faculdades da mente, fazendo com que o gosto se torne caprichoso e pervertendo as tendências.” Testemunhos Seletos, vol. 1, p. 569.

“Leituras frívolas, conversas fúteis e prazeres mundanos ocupam tão completamente o espírito que não fica espaço para a entrada da Palavra de Deus. O mundanismo, a frivolidade e o orgulho tomam o lugar que Cristo deve ocupar na alma. ...”  Mensagens aos Jovens, p. 66.

Busque trazer à sua mente o que há de mais positivo e eliminar as lembranças desagradáveis, as inseguranças limitadoras, os sentimentos contrários à fraternidade, as mágoas guardadas há tempos.  Mas, como conseguir isto? Parece difícil, porém temos um meio seguro:  “Ele, tão-só, pode dar-nos aspirações nobres, e moldar nosso caráter à semelhança divina. Se dEle nos aproximarmos em oração sincera, Ele nos encherá o coração de elevados e santos propósitos, e sincero anelo de pureza e de pensamentos limpos. ...” Lugares Celestiais, MM. 1968, pág. 85.

“A água é emblema, tanto do batismo como da palavra, duas agências purificadoras. ‘Também Cristo amou a igreja, e a Si mesmo Se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra’. Efé. 5.25 e 26. ‘Segundo a Sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente Ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador.’ Tito 3.5 e 6. A Paulo foi dito que fosse batizado e lavasse os seus pecados (Atos 22.16). Quando os pedaços do animal usado como oferta queimada eram lavados antes de serem colocados sobre o altar, isto não só ensinava ao povo ordem e limpeza, mas também a lição espiritual  de que, antes que qualquer coisa coisa seja posta sobre o altar, antes que seja aceita por Deus, deve estar limpa, lavada, pura e santa.”  O Ritual do Santuário, 77.

Oxalá que possamos manter nosso corpo limpo, os ambientes aprazíveis e nossa mente purificada ao Senhor. Renovemos com Ele os nossos votos de fidelidade neste sentido e permitamos que  nos lave e purifique de toda a imundície do pecado para Sua honra e glória! Amém.

 

 

 

*******

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NA

TEMPERANÇA CRISTÃ

 

Ir. Wilma G. de Pacheco
Salmos 103

 


 

INTRODUÇÂO

1.     Neste estudo abordaremos os problemas psicossomáticos como resultado da intemperança, das emoções e dos pensamentos.

2.     Pelas afirmações das Sagradas Escrituras, dos Testemunhos e da Ciência médica, 70 a 90% das enfermidades corporais são somatizações decorrentes de problemas psicológicos.

 

TEMPERANÇA

Definição

Segundo o dicionário, temperança significa equilibrar, colocar sobre limites, “moderar a atração de prazeres”; assegurar o domínio da vontade sobre os instintos e proporcionar o equilíbrio do uso das coisas criadas.

“A verdadeira temperança nos ensina a dispensar inteiramente todas as coisas nocivas, e usar judiciosamente aquilo que é saudável.” Temperança, p. 138

 

Abrangência

A temperança abrange as três áreas do ser: o corpo (soma), a alma (psiquê), e o espírito (pnéuma). 1 Coríntios 10.31 diz: “Por tanto, quer comais, quer bebais ,ou façais  outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.”

“A habitação humana, o edifício de Deus, requer acurada e vigilante guarda... A vida física deve ser cuidadosamente educada, cultivada e desenvolvida, para que por meio de homens e mulheres a natureza divina se revele em sua plenitude. Deus espera que os homens usem o intelecto que Ele lhes deu. Espera que eles empreguem para Ele todo poder de raciocínio. Devem dar à consciência o lugar de supremacia que lhe foi designado. As faculdades físicas e mentais, juntamente com as afeições, devem ser cultivadas de maneira que atinjam a máxima eficiência.” Temperança, 143

“Mas se a mãe se atém sem reservas aos retos princípios, se é temperante e abnegada, bondosa, amável e esquecida de si mesma, ela pode transmitir ao filho os mesmos traços de caráter. Muito explícita foi a ordem que proibia o uso de vinho pela mãe. Cada gota de bebida forte por ela ingerida para satisfazer seu apetite põe em perigo a saúde física, mental e moral do filho, sendo um pecado direto contra seu Criador.” A Ciência do Bom Viver, 373.

“A verdadeira educação significa mais do que avançar em certo curso de estudos. É muito mais do que a preparação para a vida presente. Visa o ser todo, e todo o período da existência possível ao homem. É o desenvolvimento harmônico das faculdades físicas, intelectuais e espirituais.” Educação, 13.

Concluímos dos parágrafos anteriores:

1. A temperança não está somente relacionada ou limitada aos cuidados corretos de nosso corpo físico ou fisiológico; como comer, beber, descansar, trabalhar, respirar, fazer exercícios, etc.

2. A temperança tem que ver também com outras partes do ser: a mente (o que pensamos); a vontade (o que decidimos), e a alma (o que sentimos): amor, ternura, tristeza, mágoa.

3. No livro Educação, página 13, mencionado anteriormente, a temperança tem a ver também com o espírito. Como o corpo e a mente devem ser desenvolvidos harmoniosamente, da mesma maneira deve ser com o espírito.

Princípios verdadeiros nesta área (espírito) darão frutos verdadeiros de acordo com a vontade de Deus, e colocará a mente e as emoções em perfeita interação. Portanto o corpo também estará em harmonia com os princípios da vida. Porém princípios espirituais errados comandarão a mente, a vontade e as emoções de maneira errada, e como conseqüência haverá transtornos físicos.

4. Da mesma maneira as coisas boas devem ser usadas corretamente dentro das suas limitações, do contrário repercutirão também negativamente nas três áreas de nosso ser.

 

COMO FOMOS CRIADOS E COMO FUNCIONAMOS

A referência da Escritura sugere que a vida do ser interage em seus três eixos ou núcleos: soma, emoção e mente, ou usando a nomenclatura paulina:  corpo, alma e espírito. I Tessalonicenses 5:23 diz: “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”; Hebreus 4:12 “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.”

Ainda que o organismo humano guarde certas semelhanças fisiológicas com os animais, o espírito (a mente) nos faz intrinsecamente diferentes deles.

Em Gênesis 1.26 diz que o homem foi criado à imagem de Deus, perfeito e inocente. As três frações do ser funcionavam harmoniosamente.

Os princípios do corpo estavam em harmonia com os princípios da mente, e era governado por ela. A alma também era guiada e estava em harmonia com os princípios do espírito, e os princípios do espírito estavam em harmonia com a vontade de Deus, e era governado por ela.

Todo seu ser movia-se na mesma direção de acordo com a vontade de Deus, visto que foi criado à sua imagem.

Sendo assim, não havia conflitos nele. As leis físicas com as psicológicas e as espirituais interagiam,  e como resultado não havia doenças somáticas, psicológicas, espirituais, psicossomáticas, ou biopsicossocio-espiritual

 

Vejamos o diagrama seguinte:

 

Descrição: http://www.smir14.com.br/images/stories/renovao1.png
 

 


 

 

As setas apontadas para fora indicam a inter-relação com Deus e com as outras pessoas e o ambiente.

A alma é a personalidade por meio da qual nos relacionamos com os outros – na verdade, a nossa constituição psicológica. O espírito, que reúne nossas faculdades superiores, é a nossa consciência de Deus, ou a faceta de nossa constituição pela qual nos relacionamos com Ele. O corpo é o meio pelo qual nos relacionamos com o mundo e nosso ambiente.

Após a queda, todo o ser (corpo, alma e espírito), ficou profundamente alterado.

“Pela desobediência, porém, isto se perdeu. Com o pecado a semelhança divina ficou obscurecida, sendo quase que totalmente apagada. Enfraqueceu-se a capacidade física do homem e sua capacidade mental diminuiu; ofuscou-se-lhe a visão espiritual. Tornou-se sujeito à morte.” Educação, 15

“Declarou-se-lhes, porém, que sua natureza ficara depravada pelo pecado” Patriarcas e Profetas, 61

Vejamos também declarações das Escrituras:

1. Salmos 51.5 “Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.”

2. Salmos 58.3 “Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, falando mentiras.”

3. Isaias 48.8 “Nem tu as ouviste, nem tu as conheceste, nem tampouco há muito foi aberto o teu ouvido, porque eu sabia que procederias muito perfidamente, e que eras chamado transgressor desde o ventre.”

4. Romanos 8.7, 8 “Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.”

5. Jó 25.4-6 “Como, pois, seria justo o homem para com Deus, e como seria puro aquele que nasce de mulher? Eis que até a lua não resplandece, e as estrelas não são puras aos seus olhos. E quanto menos o homem, que é um verme, e o filho do homem, que é um vermezinho!”.

6. Jó 14:4 “Quem do imundo tirará o puro? Ninguém”.

7. Jó 15.15,16 “Eis que ele não confia nos seus santos, e nem os céus são puros aos seus olhos. Quanto mais abominável e corrupto é o homem que bebe a iniqüidade como a água?”

Pelas declarações anteriores, concluímos que todo seu ser (corpo, alma e espírito) está em total desarmonia; as leis físicas, psicológicas e espirituais não mais obedecem aos princípios estabelecidos, atuando na maior confusão, desordem e de maneira oposta. O egoísmo tomou lugar do amor, ficando no centro do comando. Vejamos o seguinte diagrama:

 

Descrição: http://www.smir14.com.br/images/stories/renovao2.png
 

 

 


 

A INTEMPERANÇA PSICOLÓGICA E AS DOENÇAS PSICOS-SOMÁTICAS

A medicina moderna emprega o termo psicossomático – psiquê: mente e soma: corpo. Cada dia se compreende melhor como a mente pode produzir variados distúrbios no corpo.

Assim como a temperança é abster-nos de tudo que é prejudicial e usar sabiamente o que é saudável em qualquer das três áreas do ser humano, da mesma forma a intemperança é não abster-nos do prejudicial e usar de maneira errada o que é saudável em qualquer das três áreas do ser.

 

O Segredo da estratégia do inimigo

“Intemperança de qualquer espécie embota os órgãos perceptivos, enfraquecendo tanto as energias cerebrais, que as coisas eternas não são apreciadas, mas consideradas como comuns. As mais elevadas faculdades da mente, destinadas a elevados desígnios, são postas em servidão às paixões inferiores. Se nossos hábitos físicos não são corretos, nossas faculdades mentais e morais não podem ser fortes; pois existe grande afinidade entre o físico e o moral.” Temperança, 12,13.

“Existe uma relação, indicada por Deus, entre pecado e doença. Médico algum poderá clinicar por um mês que seja, sem ver isso ilustrado. Pode ele ignorar o fato; pode ter a mente tão ocupada com outros assuntos que não lhe dê atenção; se ele, porém, for observador honesto, não poderá deixar de reconhecer que pecado e doença têm mutuamente a relação de causa e efeito. O médico deve ser ligeiro em ver isso e agir de acordo.

“Uma vez ganha a confiança do doente, aliviando-lhe os sofrimentos e salvando-o na beira da sepultura, pode ele ensinar-lhe que a doença é resultado do pecado e que é o inimigo caído que procura induzi-lo a práticas destruidoras da saúde e da alma. Pode ele impressionar-lhe a mente com a necessidade de negar-se a si mesmo e obedecer às leis da vida e saúde. (...) Se é obedecida, bênçãos seguirão os nossos passos; se é desobedecida, o resultado é perigo e infelicidade. As leis de Deus destinam-se a conduzir Seu povo para mais perto dEle. Ele os salvará do mal e os levará ao bem, se se deixarem guiar, mas forçá-los Ele nunca fará.” Testimonies, vol. 5, pp. 444 e 445.

“Satanás é o causador da doença; e o médico está batalhando contra sua obra e poder. A enfermidade da mente reina por toda parte, e noventa por cento das doenças que atacam o ser humano têm aí seu fundamento. Talvez algum vivo distúrbio doméstico esteja, como gangrena, roendo até à própria alma, e enfraquecendo as forças vitais. O remorso pelo pecado aflige por vezes a constituição, e desequilibra a mente. Há, também, doutrinas errôneas, como a de um inferno eternamente a arder e o tormento perpétuo dos ímpios, as quais por darem uma visão exagerada e distorcida do caráter de Deus, têm produzido os mesmos resultados sobre espíritos sensíveis. Os infiéis têm aproveitado ao máximo esses casos infelizes, atribuindo a loucura à religião; isto, porém, é grosseira difamação, a qual deverão enfrentar finalmente. A religião de Cristo, bem longe de causar loucura, é um de seus mais eficazes remédios; é poderoso calmante nervoso.” Testimonies, vol. 5, p. 444.

O Dr. McMillen no seu livro A Providência Divina Para Sua Saúde diz:

“A paz não vem em comprimidos! Isto é lamentável, porque a ciência médica reconhece que as emoções como o medo, tristeza, inveja, ressentimento e o ódio são responsáveis pela maioria das nossas doenças. A estimativa é de 70% a 90%.”

Dos parágrafos anteriores extraímos:

1. Que a maior parte das enfermidades são de origem psicossomática, ela (Ellen G. White) diz que 90% das enfermidades físicas têm sua origem na mente.

2. Que a ciência médica reconhece que 70 a 90% das doenças de origem psicológica se somatizam em diferentes órgãos.

3. Que o remorso, dificuldades na vida, no lar, o pecado, doutrinas erradas; estão debilitando as forças vitais e desequilibrando as mentes e o resultado é a somatização de tais problemas em forma de doença.

4. Que a intemperança entorpece e debilita os órgãos sensoriais.

5. Há uma conexão divinamente assinalada entre o pecado e a enfermidade.

6. A tensão emocional, invisível da mente, é capaz de produzir mudanças assombrosas na mente, que podem chegar a ser graves e mortais.

 

Principais doenças psicossomáticas e seus sintomas

Ø Tensão emocional: pressão alta, papeira tóxica, enxaqueca, artrite, apoplexia, doenças cardíacas, úlceras gastrointestinais e outras.

Ø Medo e insegurança: pode causar problemas físicos desde dor de cabeça até paralisia, problemas psicológicos e também espirituais.

Ø Ansiedade e depressão: dores de cabeça, enxaqueca, indigestão, úlceras pépticas.

Ø Conflitos psicológicos: urticária, algumas formas de artrites, asma, erupções cutâneas, cólon espástico, palpitações cardíacas e doenças respiratórias.

Ø O stress (conseqüências fisiológicas por excesso, isto é, em longo prazo):

1.     Liberação de adrenalina e noradrenalina: distúrbios cardiovasculares, problemas renais.

2.     Liberação de hormônios tireóideos na corrente sanguínea: perda de peso, esgotamento físico.

3.     Liberação de colesterol do fígado na corrente sanguínea: risco de arteriosclerose (endurecimento das artérias).

4.     Obstrução do sistema digestivo: problemas estomacais e perturbações digestivas.

5.     Reação cutânea: sudorese excessiva.

6.     Dilatação da passagem de ar nos pulmões: o sangue superoxigenado pode levar a cegueiras temporais e alterar os batimentos cardíacos.

7.     Liberação de endorfinas do hipotálamo na corrente sanguínea: dores rotineiras como dores de cabeça e lombares.

8.     Liberação de cortisona das supra-renais na corrente sanguínea: reduz as reações imunológicas do corpo a todos os tipos de infecções, o aumento de úlceras pépticas.

9.     Redução de produção de hormônios sexuais: levando à impotência, frigidez, esterilidade.

10.   Contração dos vasos sanguíneos pelo sangue fica mais espessa: dá lugar à formação de coágulos aumentando assim o risco de moléstias cardíacas e derrames.

Ø Emoção reprimida, criatividade sufocada: amidalites.

Ø Ódio ao extremo de si mesmo: anorexia.

Ø Medo da vida, bloqueio do fluxo do que é bom: apendicites.

Ø Resistência. Recusar de ver o bem: arteriosclerose.

Ø Crítica conservada por longo tempo: artrites.

Ø Sentimento contido, choro reprimido: asma.

Ø Ambiente familiar inflamado – gritos, discussões: bronquites.

Ø Mágoa profunda, tristeza mantida por muito tempo: câncer.

Ø Medo de aceitar alegria: colesterol.

Ø Resistência, rejeição à vida: derrame.

Ø Tristeza profunda: diabetes.

Ø Medo, rejeição, fuga: diarréia.

Ø Autocrítica, falta de auto-valorização: dor de cabeça.

Ø Medo de recomeçar, medo de seguir à frente: dor nos joelhos.

Ø Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista: enxaqueca.

Ø Alimentar mágoas causadas pelo parceiro: fibromas.

Ø Medo, negação ao prazer: frigidez.

Ø Incerteza profunda, sensação de condenação: gastrite.

Ø Medo de prazos determinados, raiva do passado: hemorróidas.

Ø Raiva, ódio, resistência a mudanças: hepatite.

Ø Medo, culpa: insônia.

Ø Medo de não estar no controle: labirintites.

Ø Tumulto interior. Falta de apoio: meningites.

Ø Ressentimentos, frustração – ego ferido: nódulos.

Ø Individualidade ameaçada. Não aceitação de si mesmo: afecção da pele (acnes...).

Ø Desespero, cansaço da vida: pneumonia.

Ø Problema emocional duradouro não resolvido: pressão alta.

Ø Falta de amor quando criança, derrotismo: pressão baixa.

Ø Preso ao passado, medo de não ter dinheiro suficiente: prisão de ventre.

Ø Medo de absorver a vida: problemas pulmonares.

Ø Confusão mental, desordem, mágoa: resfriados.

Ø Sentir-se vítima, falta de amor, amargura: reumatismo.

Ø Congestão emocional, culpa e sentimento de perseguição: rinites alérgica

Ø Medo da crítica, do fracasso, desapontamento: rins.

Ø Irritação com a pessoa próxima: sinusites.

Ø Humilhação: problemas da tiróide.

Ø Alimentar mágoa, acumular remorsos: tumores.

Ø Medo. Crença de não ser bom o suficiente: úlceras.

Ø Desencorajamento, sentir-se sobrecarregado: varizes.

Psicóloga Americana L. Hay

 

COMUNICAÇÃO BIOQUÍMICA ENTRE A MENTE E O CORPO

Já ficou demonstrado que existe íntima relação entre os três componentes do ser humano; mas como é possível esta relação? Nosso cérebro sabe tudo o que está acontecendo com cada célula; no organismo há mais de 300 trilhões de células, e cada célula sabe o que está acontecendo com o cérebro e a mente.

A comunicação se realiza através de pequenas partículas (os neuropeptídeos) chamadas de neuro-transmissores. Por sua vez, cada célula tem clonada na superfície outras pequenas moléculas (peptídeos) chamadas neuro-receptores. Cada neuro-receptor é apenas para uma classe de neuro-transmissor (assim como a chave e a fechadura). Para cada pensamento ou imaginação liberamos aproximadamente 5.000 destes neuro-transmissores.

Para cada tipo de sentimento existe um tipo de substância química; e assim temos substâncias para a raiva, substâncias para a vitimização, substâncias para a depressão, substâncias para a luxúria.  O hipotálamo a traves da glândula pituitária vai liberar uma substância na corrente sangüínea  para a vivência de cada emoção; e estas substâncias vão para diferentes centros ou diferentes partes do corpo. Cada célula possui milhares de receptores na parte externa, e esse neuro-peptídeo fica encaixado no receptor como se fosse uma fechadura, convertendo-se em um sinal para a célula.

A célula que tem um neuro-peptídeo no receptor “muda”, dispara uma cascata de substâncias bioquímicas, alguns dos quais fazem até mudanças no núcleo da célula.

Nosso organismo não foi programado para produzir substâncias químicas de raiva, ressentimento, mágoa, indiferença, inveja ou ciúme,  mas para produzir substâncias químicas boas; como substâncias de paciência, de fé, de esperança, de amor, de benignidade, de ternura, etc.

Porém, por causa do pecado e o conseqüente distanciamento das leis da vida colocadas pelo Criador existe este descontrole que produz substâncias químicas causadoras de alterações genéticas nas pessoas e enfermidades degenerativas e psicossomáticas como câncer, diabete, reumatismo, etc., e igualmente também uma marcada predisposição do organismo às intoxicações, o enfraquecimento de células, órgãos e sistemas, e o  aparecimento de doenças crônicas.

 

A OBRA RESTAURADORA DE JESUS

 

Jesus diz: “Eu vim para que tenhais vida, e vida em abundância.” João 10.10, e acrescenta,  “o ladrão vem para roubar, matar e destruir.”

O Sistema implantado pelo príncipe das trevas neste mundo é para destruir; ou seja, uma visão oposta aos princípios de Deus. Ele (o diabo) suscita os tumultos, guerras, doenças, desordens sociais e políticas; enche o mundo de miséria, enfermidades e vícios. Se não fosse o controle divino, os homens estariam como o endemoninhado gadareno, ou destruídos como os porcos que se afogaram no mar por ação dos espíritos satânicos.

Porém Jesus Cristo veio para restaurar os homens à imagem de Deus, como ele era no princípio. A seguir, meditemos nos seguintes pensamentos:

“Que vida ocupada foi a de Cristo! Diariamente Ele podia ser visto entrando na habitação humilde dos necessitados e tristes, falando de esperança ao abatido e de paz ao aflito. Os pobres e sofredores recebiam a maior parte de Sua atenção. As crianças O amavam. Eram atraídas para Ele por Sua pronta simpatia. Com Sua palavra simples e amorável Ele solucionava muitos problemas que surgiam entre elas. Não raro tomava-as em Seus braços e falava com elas de maneira a conquistar-lhes o coração. Sua obra era médico-missionária e essa Ele pede a Seu povo que faça hoje. Humilde, gentil, terno e compassivo, Ele safa fazendo o bem, alimentando os famintos, erguendo o abatido, confortando os tristes. Ninguém que a Ele viesse em busca de auxílio saía desapontado.” Manuscrito 115, 1902.

 

 

 

 

*******

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NA

MISSÃO DE DEUS NA SUA IGREJA

P. Patrício Bedoya Ribera

 

 


 

 

“Por tanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-as a guardar todas as coisas que Eu vos tenho mandado; e eis que Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.”  Mateus 28. 19-20.

“Achando-Se a um passo de Seu trono celestial, deu Cristo aos discípulos a comissão. ‘É-Me dado todo o poder no Céu e na Terra’, disse Ele. ‘Portanto ide, ensinai todas as nações.’ Mat. 2.:18 e 19. ‘Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura.’ Mar. 16.15. Várias vezes foram as palavras repetidas, a fim de que os discípulos lhes apreendessem o significado. Sobre todos os habitantes da Terra, elevados e humildes, ricos e pobres, devia a luz do Céu resplandecer em claros, poderosos raios. Os discípulos deviam ser colaboradores de seu Redentor na obra de salvar o mundo.” O Desejado de Todas as Nações, p. 818.

Esta é a elevada missão da igreja de Cristo na terra. Todos quantos temos recebido a Cristo como Salvador pessoal somos responsabilizados com a obra de salvar almas do pecado e levá-las aos pés de Jesus. Esta foi sempre a missão da igreja em todas as gerações. E nós neste tempo do fim necessitamos compreender a extensão da obra e trabalhar fervorosamente pelas almas, estendendo o convite da misericórdia de Deus.

 

PROPÓSITOS DE DEUS COM SUA IGREJA

 

A igreja de Cristo na terra é um corpo organizado para o serviço do Senhor, um meio pelo qual Deus quer realizar sua obra de salvação. Disse o apóstolo Paulo: “Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.” I Coríntios 4.1. “Porque somos cooperadores de Deus: vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus.” I Coríntios 3.9. ”Todos nós fomos batizados em um espírito formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, todos temos bebido de um espírito.”  1 Coríntios 12.13.

Portanto cada membro da igreja de Cristo é um instrumento chamado a ser testemunha para levar a mensagem e cumprir a comissão de Cristo “ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura.” Marcos 16.15.

“A Igreja é um instrumento apontado por Deus para salvação dos homens. Foi organizada para servir, e sua missão é levar o evangelho ao mundo. (...)  Aos membros da igreja, a quem Ele chamou das trevas para sua maravilhosa luz, compete manifestar Sua glória. A igreja é a depositária das riquezas da graça de Cristo.” Atos dos Apóstolos, p. 9.

O grande propósito de Deus através da sua igreja é salvar almas do fogo eterno que cairá sobre os impenitentes habitantes da terra. Como membros da igreja de Cristo nossa responsabilidade é grande e solene. Estamos cumprindo com esta missão que o Senhor nos ordenou? Esta é a nossa elevada missão como membros da igreja de Cristo na terra.

 

A MISSÃO TAMBÉM É INDIVIDUAL

“A comissão do Salvador aos discípulos incluía todos os crentes. Abrange todos os crentes em Cristo até o fim dos séculos. É um erro fatal supor que a obra de salvar almas depende apenas do pastor ordenado... todos quantos recebem a vida de Cristo são mandados trabalhar pela salvação de seus semelhantes. Para esta obra foi estabelecida a igreja, e todos quantos tomam sobre si os seus sagrados votos, comprometem-se, assim, a ser obreiros de Cristo.”  O Desejado de Todas as Nações, p. 822.

“Deus espera serviço pessoal da parte de todo aquele a quem confiou o conhecimento da verdade para este tempo. Nem todos podem ir como missionários para terras estrangeiras, mas todos podem, na própria pátria, ser missionários da família e entre os vizinhos.” Serviço Cristão, p. 9

“Salvar almas deve ser a obra vitalícia de todo aquele que professa seguir a Cristo. Somos devedores ao mundo pela graça que nos foi dada por Deus, pela que brilhou sobre nós, e pela beleza e poder que descobrimos na verdade.” Ibdem, p. 10

Façamos a obra de Cristo meus irmãos e minhas irmãs, há trabalho para todos, para instruídos e para iletrados a ordem é, “Ide.” Se acreditamos nesta ordem faremos a obra de Deus onde nos encontrarmos. Cada dia que passa está mais perto do fim, e o tempo é breve. Talvez alguém diga que não está capacitado para fazer essa obra, mas o Espírito de profecia diz:

“Seja qual for a vocação de uma pessoa na vida, seu primeiro interesse deve ser ganhar almas para Cristo. Talvez ela não seja capaz de falar às congregações; pode, no entanto trabalhar em favor dos indivíduos.” O Desejado de Todas as Nações, p. 822.

 

TODOS SOMOS CHAMADOS

“O serviço a Deus inclui o ministério pessoal... Todos os que são chamados à vida de Cristo, o são também para trabalhar pela salvação do próximo. (...)  Nem todos podem preencher o mesmo lugar na obra, mas há lugar e trabalho para todos.” Serviço Cristão, pp. 300-301.

“Jovens de ambos os sexos, não vos podeis organizar em grupos e, como soldados de Cristo, alistar-vos na obra, pondo todo o vosso tato, vossa habilidade e talento no serviço do Mestre, a fim de poderdes salvar almas da ruína? Que em toda a igreja haja grupos organizados para fazer essa obra. ( ...)  Não quererão os jovens que realmente amam a Jesus organizar-se como obreiros, não somente em favor daqueles que professam ser observadores do sábado, mas também dos que não pertencem à nossa fé?.” Serviço Cristão, p. 34

Até as crianças são chamados a realizar alguma coisa na obra do Senhor e em nome de Jesus. E a serva do Senhor disse: “Saiam nossos jovens - rapazes e moças - e crianças a trabalhar em nome de Jesus. Unam-se num plano de ação. Não podeis formar um grupo de obreiros, e estabelecer ocasiões para orardes juntos e pedir ao Senhor que vos dê Sua graça, desenvolvendo uma ação coesa?” Serviço Cristão, p. 34.

Como podemos trabalhar? Necessitamos consagração, integridade no serviço de Deus. Cristo pede o coração, a mente, a alma e as forças. Então poderemos exercer nosso trabalho: em casa com nossos amados que ainda não decidiram pela verdade, no trabalho com nossos colegas, a eficiente cozinheira com as famílias interessadas, mesmo as crianças devem ser ensinadas fazer algum serviço. Os irmãos idosos orando em todo momento pelas almas, pela igreja, pelo ministério e por todas as necessidades dizendo: “Grande é, em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos; rogai pois ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara.” Lucas 10.2. Os jovens devem utilizar todos seus talentos para a causa de Deus. Trabalhar com os vizinhos, com os familiares, com os amigos, na igreja com os fracos e desanimados, nas ruas, nas praças, no escritório. Assim temos muitos ramos de trabalho em todas as áreas, ainda existe um campo mais amplo: a colportagem. Lamentamos os escassos recursos disponíveis neste sentido.  Esta é a nossa missão como igreja neste tempo do fim, pregar o evangelho onde estamos, no lugar que Deus nos colocou.

UMA CONDIÇÃO PERIGOSA

O Senhor Jesus nos adverte: “E Olhai por vós, não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida e venha sobre vós de improviso aquele dia... Vigiai  pois em todo o tempo, orando, para que sejas havido por digno de evitar todas estas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do homem.” Lucas 21.34,36.

“O verdadeiro caráter da igreja não se mede pela elevada profissão que ela faz nem pelos nomes que se encontram em seu registro, mas pelo que ela está em realidade fazendo pelo Mestre, pelo número de obreiros perseverantes e fiéis. O interesse pessoal, e os esforços individuais atentos conseguirão mais para a causa de Cristo do que pode ser efetuado por sermões ou credos” Serviço Cristão, p. 12.

Pois irmão e irmãs que no final de nossa luta possamos ouvir a maravilhosa e melodiosa voz de Jesus: “Bem está, servo bom e fiel, sobre o pouco fostes fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo de teu Senhor.” Mateus 25. 21.

 

VÓS SOIS O SAL DA TERRA

“’Vós sois o sal da terra...’ Mateus 5.13. O sal é apreciado pelo valor de suas propriedades e deve ser introduzido e misturado na substância em que é posto para ter sabor agradável. Jesus compara os seus filhos com o sal, isto é a graça de Cristo que penetra no coração e traz salvação. O amor de Cristo no coração difunde uma energia vital penetrante e comunica nova força moral às almas por quem trabalha. Jesus Adverte ‘e se o sal for insípido com que se há de salgar? Para nada mais presta se não para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.’ Isto significa o efeito de nossa religião sobre a sociedade, uma religião fria destituída da graça de Cristo é insípida e desagradável. Corações que correspondem à influência do Espírito Santo, são condutos por onde fluem as bênçãos divinas... Mas se os Cristãos o são apenas de nome são como o sal que perdeu o sabor.” O Desejado de Todas as Nações, p. 306.

 

VÓS SOIS A LUZ DO MUNDO

“Vós sois a luz do mundo...” Mateus 5.14. Com estas palavras o Senhor retrata a Sua igreja no mundo. Assim como os raios do sol penetram nas sombras desvanecendo a noite despertando os homens para vida, devem os seguidores de Cristo sair em sua missão de difundir a luz do evangelho de Cristo aos que se encontram nas trevas do erro e do pecado.

Disse Jesus: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.” João 8.12. Separados de Cristo não possuímos nenhuma luz, somos como a lua com sua face voltada para o lado contrário do sol, somos como um círio não aceso. Unicamente recebendo esta luz de Cristo podemos nos tornar portadores de luz, se Cristo habita no coração é impossível esconder a luz de Sua presença. “Não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e da luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai que está nos céus.” Mateus 5.14-16.

Uma escuridão cobriu aos que habitam na terra por seguirem seus próprios caminhos, mas Deus colocou sua igreja como luz no meio desta escuridão, disse Ele: “ ‘vós sois a luz do mundo.’ Chamou Deus Sua igreja hoje, como chamou o antigo Israel, a fim de erguer-se como luz na terra.” Testemunhos Seletos, vol. 2 p.156.

“O Senhor deseja que Sua igreja revele ao mundo a beleza da santidade. Ela deve mostrar o poder da religião cristã. O céu deve refletir-se no caráter dos cristãos.”  Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 298.

Um novo nascimento, uma nova vida, uma verdadeira conversão que torna semelhante a Cristo homens e mulheres, é a experiência que deve ser vivida na verdade; e é isto o que nos torna mensageiros de Cristo e nos qualifica como sal da terra, testemunhas de Jesus e luz no mundo. Irmãos e irmãs; precisamos levar a sério esta instrução. Se cada membro da igreja refletisse a luz do evangelho de Cristo, rapidamente seria proclamada a verdade ao mundo.

 

PROMESSAS DA COMISÃO EVANGÉLICA

As promessas de Jesus nosso Salvador são maravilhosas: “Eis que Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” Mateus 28.20.

“Cristo não disse a Seus discípulos que sua obra seria fácil. Mostrou-lhes a vasta confederação do mal arregimentada contra eles. (...)  Mas não seriam deixados a lutar sozinhos. Assegurou-lhes que estaria com eles; e se fossem avante com fé, seriam protegidos pelo Onipotente. Ordenou-lhes que fossem valorosos e fortes; pois Alguém mais poderoso que os anjos - o General das hostes celestiais - estaria em suas fileiras. (...)  Trabalhai com fé e confiança; pois em tempo algum vos deixarei. Estarei sempre convosco, ajudando-vos a executar vossas tarefas, guiando-vos, confortando-vos, santificando-vos e vos sustendo, dando-vos sucesso, quando falardes, de maneira que vossas palavras atrairão a atenção dos outros para o Céu.” Atos dos apóstolos, p. 29.

“Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece: mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.” João. 14.16-17.

“Todo obreiro que segue o exemplo de Cristo, estará apto a receber e empregar o poder que Deus prometeu a Sua igreja para a maturação da seara da Terra. Manhã após manhã, ao se ajoelharem os arautos do evangelho perante o Senhor, renovando-Lhe seus votos de consagração, Ele lhes concederá a presença de Seu Espírito, com Seu poder vivificante e santificador. Ao saírem para seus deveres diários, têm eles a certeza de que a invisível atuação do Espírito Santo os habilita a serem ‘cooperadores de Deus’. I Cor. 3.9.” Atos dos apóstolos, p. 56.

 

CONCLUSÃO

Assim vemos os grandes propósitos do Senhor para com Sua igreja, vemos também os privilégios que Deus nos concedeu a cada um. Temos uma grande obra a realizar, salvar as almas que estão perecendo nas trevas do pecado. Não é de pouca monta, mas, é uma obra solene. Proclamar o evangelho de Cristo é pesada responsabilidade, e atender o chamado de Deus é admirável privilégio. Agora, pois, Deus espera que comuniquemos aos outros o caminho da salvação.

Nosso Deus não força a ninguém, mas quer um serviço completamente voluntário. Ele disse: “A quem enviarei e quem há de ir por nós?” Quem dera neste momento respondêssemos todos como Isaias: “Eis-me aqui, envia-me a mim.”!  Isaías 6.8.  Não temais, disse Jesus: “Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.” AMÉM.

 

******

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NO

DÍZIMO - A ÁRVORE PROIBIDA

Ir. Samuel S. Maravilha

 

 


 

"...De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás." Gênesis, 2.17.

Neste momento Deus pela segunda vez, (depois de ter separado o sábado) separou algo para si, e a desobediência poderia deixar Adão e Eva fora do jardim do Éden; Seria Deus por ter pedido que não comessem daquele fruto, um egoísta, que quer tudo para Si, mesmo dizendo que “de todas as árvores comerás livremente”? Com certeza não; era simplesmente para evitar que acontecesse o mesmo que aconteceu com lúcifer, que no seu egoísmo desejou tomar a posição de Deus. O egoísmo leva o ser humano a transgredir o oitavo mandamento, ‘não furtarás’.

"Lúcifer, no Céu, desejou ser o primeiro em poder e autoridade; queria ser Deus, ter o governo do Céu; e para esse fim conquistou para o seu lado muitos dos anjos. Quando, com seu exército rebelde, foi lançado fora das cortes de Deus, continuou na Terra a obra de rebelião e interesse egoísta. Mediante a tentação, a condescendência com o próprio eu e a ambição, Satanás levou a efeito a queda de nossos primeiros pais; e desde então até ao presente, a satisfação das ambições humanas e a condescendência com esperanças e desejos egoístas se têm demonstrado a ruína da humanidade." Conselho aos  Pais Professores e Estudantes, p. 32 e 33.

Infelizmente, mesmo separando uma árvore para que o homem consciente-mente devolvesse ao Criador aquilo que Ele separou para Si - deram, Adão e Eva, ouvido à serpente. Egoistamente preferiram transgredir uma ordem, ou mesmo um pedido que era para seu próprio bem.

Um Missionário conversava com uma irmã de sua igreja, sobre a fraqueza que Eva teve ao dar ouvido a satanás. Disse ela: - olha se eu tivesse no lugar de Eva eu nunca iria dar ouvido a esse enganador.

- Na verdade ela foi enganada por ser curiosa. Dizia o missionário, que com muita dificuldade tentava mostrar para ela que qualquer um poderia dar ouvido, pois o inimigo não brinca em serviço.

-Eu ainda digo que Eva foi muito egoísta em desobedecer às ordens de Deus.

Passado alguns dias, o missionário resolve convidar a esta mulher, que não se convencia da fraqueza de Eva,  para almoçar em sua casa. Colocando os pratos para a refeição, o missionário traz um prato coberto, coloca sobre a mesa e diz:

- Este prato é uma surpresa para depois da refeição. E voltando para a cozinha continuou arrumando os alimentos para o almoço. Enquanto isso à mesa com os convidados, a mulher diz para alguns que ali estavam;

- O que será que o missionário preparou para nossa sobremesa? (cochichou) E devagarzinho levanta a tampa do prato, quando de repente um ratinho (camundongo) vendo a luz, saltou para fora do prato fugindo não dando possibilidade de ninguém mais lhe pegar. Quando acabou a refeição o missionário disse:

- Bom eu havia reservado um prato para depois da refeição, a fim de explicar como foi a queda de Eva. Mais eu sei que alguém tocou no prato sem minha permissão. Que vergonha! Que decepção! Era o suficiente para o missionário dizer a mulher que o egoísmo tem que ser tirado de nossos corações, pois, todos  estamos em condição de cair da mesma forma como caíram  Adão e Eva.

Não são o Sábado, os dízimos, as ofertas, uma árvore que temos diante de nós? Obedecer evitará que sejamos expulsos do jardim de benção que Ele nos oferece.

"O sistema do dízimo remonta para além dos dias de Moisés. Requeria-se dos homens que oferecessem dons a Deus com intuitos religiosos, antes mesmo que o sistema definido fosse dado a Moisés - já desde os dias de Adão". Conselhos Sobre Mordomia Cristã, p. 69.

"A árvore da ciência, que se achava próxima da árvore da vida, no meio do jardim, devia ser uma prova da obediência, fé e amor de nossos primeiros pais". Meditações Matinais, 1974,  p. 38.

Tocando nos Dízimos

De muitas maneiras, Deus sempre mostra a necessidade de evitar tocar nas coisas que Ele tem reservado para Si. Assim como Deus separou para Si aquela árvore, o dízimo tem sido separado para servir de teste a todos os candidatos à vida eterna, e tocá-lo significa dar ouvido a satanás e cair na desobediência.

"A árvore da ciência se tornara a prova de sua obediência e amor a Deus. O Senhor achara conveniente não lhes impor senão uma proibição quanto ao uso de tudo que estava no jardim; mas, se desatendessem a Sua vontade neste particular, incorreriam na culpa de transgressão." Patriarcas e  Profetas, p. 53.

Devemos impressionar a nosso povo que reter os dízimos e as ofertas, toca em algo, que já há muitos anos Deus tem separado para Si, e que individualmente somos apenas um mordomo de Deus e não o dono do dinheiro que por nossas mãos passa.

 

O Pastor e o Dízimo

"Será necessário que alguém vos siga e inste com as pessoas para que cumpram seu dever de entregar fielmente todos os dízimos e ofertas ao tesouro do Senhor? Essa é a obrigação do pastor, mas tem sido calamitosamente negligenciada. O povo tem roubado a Deus, e o mal tem sido suportado, porque o pastor não tem querido desagradar seus irmãos. Deus chama a esses homens mordomos infiéis. Review and Herald, 8 de julho de 1884". Evangelismo,  252.

Às vezes queremos sensibilizar mentes e corações de pessoas que tem retido os dízimos e somos como que obrigado a falar seriamente com todos os que têm a responsabilidade de devolverem a Deus o que Lhe pertence, mesmo que sejamos interpretados erradamente, como que estivéssemos necessitando de sua colaboração, porém, não é assim. "Nunca, por palavra ou ato, diminuiu Jesus a obrigação do homem de apresentar dádivas e ofertas a Deus. Fora Cristo que dera todas as instruções da lei quanto a dízimos e ofertas." O Desejado de Todas as Nações, p. 397. Quem não o devolve, está roubando a Deus; é a pessoa quem está desobedecendo e não nós, e se não falarmos, Deus nos tomará como mordomos infiéis

"‘Trazei todos os dízimos à casa do tesouro’ (Mal. 3.10), é a ordem de Deus. Não se apela para a gratidão.” Educação, p. 138 "(...) Sigam os anciãos e oficiais da igreja a orientação da Palavra Sagrada, e insistam com os membros sobre a necessidade de ser fiéis em pagar os votos, dízimos e ofertas." R H, 17 de dezembro de 1889.” Conselho Sobre Mordomia Cristã, p. 107

"Dos bens confiados aos homens, Deus reclama certa porção - o dízimo. A todos deixa Ele liberdade para decidirem se deseja ou não dar mais do que isto. Mas quando o coração é tocado pela influência do Espírito Santo, e é feito um voto de dar certa importância, aquele que fez o voto não tem mais nenhum direito sobre a porção consagrada. Promessas desta espécie feitas aos homens são olhadas como obrigatórias; seriam menos obrigatórias as feitas a Deus? São as promessas julgadas no tribunal da consciência menos obrigatórias que as escritas nos contratos humanos?” Atos dos .Apóstolos, p.74.

Dizem que o dono da empresa Kollinos, quando pensava em fabricar pasta de dente, ouvira dizer da necessidade de devolver os dízimos pois Deus daria as bênçãos para seu crescimento. Assim resolveu dar os dízimos de tudo o que recebia. As bênçãos eram tantas que quando já velho ele separava dos dízimos cinqüenta por cento, dizendo que Deus merecia pois Ele era o sócio que fazia seus negócios crescerem e um sócio deveria receber a metade. Quando é que chegaremos a pensar desta forma, com nossos corações tão mesquinhos?

"Como Abraão, devem dar o dízimo de tudo quanto possuem e de tudo o que recebem. O dízimo fiel é a parte do Senhor. Retê-lo, é roubar a Deus. Deve todo homem trazer livre, voluntária e alegremente os dízimos e ofertas à casa do tesouro do Senhor, pois, em fazê-lo, há uma bênção. Nenhuma segurança há em reter de Deus a parte que Lhe pertence." Manuscrito 159, 1899. p. 67.

 

Qual deve ser a utilidade dos Dízimos?

Muitos, nos tempos de Ellen White, indagavam-lhe quanto ao uso dos dízimos: Podemos usá-los para outros fins religiosos? E se usamos na obra? E se compramos algo para o trabalho missionário? Qual o destino desta oferta? Alguns dias atrás uma senhora que não era de nossa igreja me dirigiu uma pergunta: - estou usando os dízimos para preparar um lugar para adoração a Deus. Isto é permitido, certo? Tive que dizer que não, pois assim a bíblia e os testemunhos nos têm ensinado.

"Tem-me dado o Senhor, ultimamente, testemunhos especiais para transmitir quanto às advertências e promessas por Ele feitas por intermédio de Malaquias. Depois de haver eu falado com grande franqueza à igreja de Sydney [na Austrália], e estar colocando meu casaco, no vestuário, foi-me feita a pergunta: ‘Irmã White, acha que meu pai deve devolver o dízimo? Recentemente teve grande prejuízo, e diz que logo que liquidar sua dívida, devolverá o dízimo. Perguntei: Como considerais nossa obrigação para com Deus, que nos dá a vida e a respiração, e todas as bênçãos que desfrutamos? Quereríeis que nossa dívida para com Deus fosse continuamente aumentando? Roubar-Lhe-íeis a parte que Ele nunca nos deu para usar para qualquer outro propósito que não o de fazer Sua obra avançar, manter-Lhe os servos no ministério? Em resposta à vossa pergunta, interroga o profeta Malaquias: 'Roubará o homem a Deus? Todavia, vós Me roubais e dizeis: Em que Te roubamos?' como se não houvesse vontade de entender essa questão. Vem a resposta: 'Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, porque Me roubais a Mim, vós, toda a nação.' Mal. 3.8 e 9. Depois de tal declaração, ousaria eu dizer-vos: Não precisais dar o dízimo enquanto estiverdes devendo? Quer que eu vos diga que certamente deveis pagar tudo o que deveis a qualquer homem, embora roube a Deus, para fazê-lo?" Conselhos Sobre Mordomia Cristã, p. 93.

Conseqüência do roubo

" ‘Aplicai o vosso coração aos vossos caminhos. Semeais muito e recolheis pouco; comeis, mas não vos fartais; bebeis, mas não vos saciais; vesti-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário recebe salário num saquitel furado. Olhastes para muito, mas eis que alcançastes pouco; e esse pouco, quando o trouxestes para casa, Eu lhe assoprei.’ Ageu 1.5, 6 e 9. ‘Depois daquele tempo, veio alguém a um monte de vinte medidas, e havia somente dez; vindo ao lagar para tirar cinqüenta, havia somente vinte.’ Ageu 2.16. ‘Por quê? - disse o Senhor dos Exércitos. Por causa da Minha casa, que está deserta.’ Ageu 1.9. ‘Roubará o homem a Deus? Todavia, vós Me roubais e dizeis: Em que Te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas.’ Mal. 3.8. ‘Por isso, retêm os céus o seu orvalho, e a terra retém os seus frutos.’ Ageu 1.10” . Educação, p. 148.

"Compreendo que também estais proclamando que não devemos dar o dízimo. Meu irmão, tirai o sapato de vossos pés, pois o lugar em que estais é terra santa. O Senhor falou com relação a dar os dízimos. Ele disse: ‘Trazei todos os dízimos à casa do tesouro....’  Mal. 3.10.” Conselhos Sobre Mordomia, p. 83

"...Com o acréscimo de pagamento veio decidido aumento de cobiça, que é idolatria, e decidido declínio da espiritualidade. Insinuaram-se males grosseiros, e Deus foi desonrado. O espírito de muitos que testemunharam esta avidez de ganhos cada vez maiores, foi levedado pelas dúvidas e a incredulidade. Princípios estranhos, qual mau fermento, penetraram em quase todo o corpo de crentes. Muitos deixaram de negar-se a si mesmos, e não poucos retiraram seus dízimos e ofertas." Mensagens Escolhidas, vol. 2 p. 177.

Recentemente perdemos alguns colaboradores no trabalho do Senhor e olhando a fundo percebi no que um deles comentou sobre os dízimos. – eu nunca acreditei que os dízimos deveriam ser dados à igreja. Hoje não está em nosso meio e muito menos crê nas mensagens que pregamos.

O Dízimo Seu Uso e Aplicação

"Quando todos forem fiéis em devolver a Deus o que a Ele pertence em dízimos e ofertas, abrir-se-á o caminho para que o mundo ouça a mensagem para este tempo. Se o coração do povo de Deus se enchesse do amor de Cristo; se cada membro de igreja fosse inteiramente imbuído do espírito de sacrifício; se todos manifestassem completo fervor, não haveria falta de fundos para as missões nacionais ou estrangeiras. Nossos recursos seriam multiplicados; mil portas de utilidade se abririam e nós seríamos convidados a entrar. Tivesse sido o propósito de Deus em dar ao mundo a mensagem de misericórdia executado por Seu povo, e Cristo já poderia ter vindo à Terra e os santos já teriam recebido as boas-vindas na cidade de Deus. Testimonies, vol. 6, pág. 450.” Conselhos Sobre Escola Sabatina, p. 137.

Às vezes pensamos que devolvendo os dízimos já estamos fazendo nossa parte na pregação do evangelho, porém, queremos lembrar que as ofertas também estavam incluídas na queixa que Deus fez ao povo que Lhe roubava. Que vergonha é quando se apresentam os relatórios e não se vê irmão ou irmã que se preocupa com os pobres, com o trabalho missionário, não leva as ofertas ao altar quando vai assistir aos cultos; o quê dizer das ofertas para a construção de igreja, nós que já temos um lugar para adoração, e quem não tem onde reunir-se? Não se dá nenhuma oferta de gratidão, dando a entender que não estão agradecidos ou que não receberam nenhuma bênção de Deus para Lhe agradecer! Que mesquinhez é achar que só você precisa de ajuda e que cada um deve se virar como pode! Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Luc. 7.16 Poderá tal pessoa se queixar, se algo de mal sucede em sua vida ou se não acontece nada de bom a ele? Lamentação de Jeremias 3.39 diz o seguinte: "De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados."

Muitos já estão apelando para meios, quase que impróprios, na esperança de conseguir fundos para trabalhos missionários. Não seria mais apropriado se todos dessem ofertas de coração do pouco que tem recebido?

Fiz uma experiência vendendo pizzas, onde na maioria das vezes os próprios irmãos tinham o dinheiro para comprar, mais que só doariam em troca de comida, se não fosse assim diriam abertamente “não tenho dinheiro”. "Se os professos cristãos levassem fielmente a Deus os seus dízimos e ofertas, o divino tesouro estaria repleto. Não haveria então ocasião para recorrer a quermesses, rifas ou reuniões de divertimento a fim de angariar fundos para a manutenção do evangelho." Atos dos Apóstolos, p. 338.

“É um fato deplorável que as considerações sagradas e eternas não tenham o poder de abrir o coração dos professos seguidores de Cristo a fim de voluntariamente abrirem a mão em ofertas para o sustento do evangelho, como o têm as sedutoras tentações de festas e divertimentos em geral. É uma triste realidade que esses atrativos prevaleçam quando coisas sagradas e eternas não têm força para influenciar o coração a fim de empenhar-se em obras de benevolência.”  Beneficência Social, p. 291.

 

Para nossa Reflexão

Muitas vezes temos uma parcela da culpa, por não ensinar nossos filhos desde pequenos a serem doadores voluntários, do contrario estaremos deixando um grande defeito em seu caráter, uma nódoa chamada ‘egoísmo’ que não permitirá que toque no pequeno e sensível nervo do bolso quando crescerem. Daremos um exemplo sobre as Ofertas Natalícias.

“Na dispensação judaica, por ocasião do nascimento dos filhos, era feita uma oferta a Deus, por indicação dEle próprio. Agora vemos os pais tendo o especial cuidado de dar presentes aos filhos por ocasião de seus aniversários. Fazem disto uma ocasião para honrar a criança, como se a honra fosse devida ao ser humano. Satanás tem nisto encontrado seu próprio objetivo; tem desviado a mente e as ofertas para seres humanos; assim os pensamentos dos filhos concentram-se em si mesmos, como se devessem eles ser feitos objeto de especial favor. Aquilo que devia retornar a Deus em ofertas que abençoassem o necessitado e levassem a luz da verdade ao mundo, é desviado do justo canal e freqüentemente faz mais mal que bem, agindo como encorajamento à vaidade, ao orgulho e à presunção. Por ocasião de aniversários, os filhos devem ser ensinados que têm motivos de gratidão para com Deus por Sua terna benignidade em lhes conservar a vida por mais um ano. Podem assim ser dadas preciosas lições. Pela vida, a saúde, o alimento, o vestuário, não menos que pela esperança da vida eterna, somos devedores ao Doador de todas as bênçãos; devemos a Deus o reconhecimento de Seus dons e apresentar nossas ofertas de gratidão a nosso maior Benfeitor. Essas ofertas natalícias são reconhecidas no Céu. R. H., 9 de dezembro de 1890.” Conselhos Sobre Escola Sabatina, 143.

Alguns pensamentos para meditação:

É dando que se recebe; - é salvando que se salva; -se fores fieis no pouco sobre muito vos colocareis; - tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós; - daí a Deus o que é de Deus e a Cezar o que é de Cezar; - tudo o que o homem semear, isso também ceifará; - que adianta o homem ganhar o mundo e perder a sua vida?

"Foi-me mostrado que muitos de nosso povo roubam ao Senhor em dízimos e ofertas, e em resultado Sua obra é grandemente impedida. A maldição de Deus repousará sobre os que vivem das bênçãos de Deus e, contudo cerram o coração e nada ou quase nada fazem para promover Sua causa. Irmãos e irmãs, como pode o beneficente Pai continuar a fazer-vos mordomos Seus, fornecendo-vos meios que deveriam ser empregados em Seu favor, quando tudo agarrais, reclamando de forma egoísta que vos pertence!"  Testemunhos  Seletos, vol. 2 p.  243.

Onde se encontra a justiça de Deus? Lemos em II Coríntios 8.12-15; "Porque, se há prontidão de vontade, é aceitável segundo o que alguém tem, e não segundo o que não tem. Pois digo isto não para que haja alívio para outros e aperto para vós, mas para que haja igualdade, suprindo, neste tempo presente, na vossa abundância a falta dos outros, para que também a abundância deles venha a suprir a vossa falta, e assim haja igualdade; como está escrito: Ao que muito colheu, não sobrou; e ao que pouco colheu, não faltou.”

 

Onde Não Deve ser Usado o Dízimo

 

“Necessitam-se neste tempo homens de coragem provada e firme integridade, homens que não temam erguer a voz na defesa do direito. Desejo dizer a todo obreiro: Que a integridade caracterize cada ato em todos os vossos deveres oficiais. Todos os dízimos, todo o dinheiro que vos é confiado para qualquer fim especial, deve ser prontamente posto no lugar devido. O dinheiro dado para a causa de Deus, não deve ser aplicado em uso pessoal, com a idéia de que pode ser restituído mais tarde. Isto é proibido pelo Senhor. É uma tentação daquele que produz o mal e o mal somente. O pastor que recebe fundos para o tesouro do Senhor, deve passar ao doador um recibo do mesmo, com a data. Então, sem esperar ser tentado por aperto financeiro a se servir desses meios, deposite-os em lugar de onde os possa tirar prontamente quando forem solicitados.” Obreiros Evangélicos, p. 141.

“Coisa séria é apropriar-se dos bens do Senhor, praticar furto para com Deus; pois, ao fazê-lo, as percepções se tornam pervertidas e o coração, endurecido...

“Defraudar o Senhor é o maior crime de que um homem pode ser culpado; e ainda assim é esse pecado profunda e amplamente difundido.” Conselho Sobre Mordomia, p. 86.

“Em caso algum deve ser esse fundo dedicado a qualquer outro uso; deve ser unicamente dedicado ao sustento do ministério do evangelho. Depois de ser o dízimo posto à parte, sejam as dádivas e ofertas proporcionais: "conforme a sua prosperidade". I Cor. 16:2.”  Iden, p. 81.

“A porção que Deus reservou para Si, não deve ser desviada para nenhum outro desígnio que não aquele por Ele especificado. Ninguém se sinta na liberdade de reter o dízimo, para empregá-lo segundo seu próprio juízo. Não devem servir-se dele numa emergência, nem usá-lo segundo lhes pareça justo, mesmo no que possam considerar como obra do Senhor.” Iden, p. 101.

“O dízimo pertence ao Senhor, e todos aqueles que tocam nele serão punidos com a perda de seu tesouro celestial, a menos que se arrependam...

“Alguns se têm sentido malsatisfeitos, e dito: ‘Não devolverei mais o dízimo; pois não confio na maneira por que as coisas são dirigidas na sede da obra.’ Roubareis, porém, a Deus, por pensardes que a direção da obra não é correta? Apresentai vossa queixa franca e abertamente, no devido espírito, e às pessoas competentes. Solicitai em vossas petições que se ajustem as coisas e ponham em ordem; mas não vos retireis da obra de Deus, nem vos demonstreis infiéis porque outros não estejam fazendo o que é correto.”  Obreiros Evangélicos, 227.

“O sangue de Cristo é eficaz, mas precisa ser aplicado continuamente. Deus não só quer que Seus servos usem os meios que lhes confiou para Sua glória, mas deseja que se consagrem a si mesmos à Sua causa. Se vós, meus irmãos, vos tornastes egoístas e estais retendo do Senhor aquilo que deveríeis alegremente dar ao Seu serviço, necessitais então de que se vos aplique completamente o sangue da aspersão, consagrando-vos a Deus com todas as vossas posses.”  Testemunhos Seletos, vol. 1, p. 483.

Dar é o exercício físico do céu, aprimore-se, exercite-se, desenvolva este talento eterno... somos candidatos ao jardim do Éden. Amém.

 

 

*******

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NA

REVERÊNCIA E ZELO PELA CASA DE DEUS

Pr. Adalício Fontes de Souza

 

 


 

I -        INTRODUÇÃO

 

1. “Mas o Senhor está no Seu santo templo: cale-se diante dEle toda a terra.” Habacuque.2.20. Em conexão leiamos em Êxodo 3.5 ”E disse: Não te chegues para cá; tira os teus sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.”

Entre os muçulmanos existe um costume ainda praticado hoje, tirar o calçado em sinal de respeito ao entrar no lugar sagrado.

A lição ensinada a Moisés no incidente da  sarça é grandemente necessária em nossos dias. Milhões de pessoas hoje, não fazem diferença entre o santo e o profano;  e nós? “E a Meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano, e o farão discernir entre o impuro e o puro.” Ezequiel 44.23.

2. Temos como objetivo nesta semana transmitir este tema às nossas igrejas devido à grande necessidade e falta de reverência para com as coisas sagradas. Diz-nos a pena inspirada: “Nada deve receber um feitio vulgar ou insignificante, ou ser reduzido ao nível das coisas triviais. Nossas igrejas necessitam ser educadas para maior respeito e reverência pelo culto divino. Conforme o ministro dirige os serviços relacionados com o culto divino, assim estará ele educando e preparando o povo.” Evangelismo, p. 313.

3- Devemos ponderar as palavras das escrituras que mostram como deve ser considerado o lugar assinalado pela especial presença de Deus.  No livro Profetas e Reis temos este conselho:  “A verdadeira reverência a Deus é inspirada pelo senso de Sua infinita grandeza e a noção de Sua presença. Com este senso do invisível, todo coração deve sentir-se profundamente impressionado. A ocasião e o lugar de oração são sagrados, porque Deus está ali. E ao ser a reverência manifestada em atitude e comportamento, o sentimento que a inspira será aprofundado. ‘Santo e tremendo é o Seu nome’ (Sal. 11.:9), declara o salmista. Os anjos, quando pronunciam este nome velam o rosto. Com que reverência, então, não devemos nós, que somos pecadores e caídos, tomá-lo em nossos lábios!” Profetas e Reis, pp. 48, 49.

Jacó apavorado disse: “isto é terrível, eu não tinha percebido, esta é a casa de Deus, a porta dos céus.”  Gênesis 28:16-17.

A glória de Deus repousa sobre o Seu santuário, Sua igreja e Seu povo para tornar pela Sua presença tudo santo: pregadores, ouvintes, dirigentes, prédio, móveis, portas, janelas, cortinas, paredes, teto, piso, tudo o que circunda o recinto sagrado, a glória do Senhor santifica. Tudo isto são como pedras mudas que clamam, mas lamentavelmente existem muitas igrejas com aparência leprosa, faltando uma coisa ou outra, com partes podres, pinturas danificadas ou sujas, etc. E Deus vê tudo isto: “Eu sei as tuas obras...” Apocalipse 3.15.

II- LUGAR DE ADORAÇÃO

1.     “Disse o rei ao profeta Natã: Olha, eu moro em casa de cedros, e a arca de Deus se acha numa tenda” II Samuel 7.2.

2.     Davi habitava em um dos mais exuberantes palácios de cedros e em sua volta havia outros belos edifícios, quando percebeu  que a arca, que simbolizava a presença de Deus não tinha um lugar apropriado  sua consciência ficou grandemente perturbada.

“Há quase três mil anos, por indicação divina, foi construído o templo em Jerusalém. A nação escolhida por Deus fora grandemente favorecida; morava o povo em suntuosas casas enquanto ainda adorava a Deus no tabernáculo de cortinas. Ali, entre os querubins, habitava o Shekinah, o visível emblema da presença de Deus, e em meio à perfeição da beleza Deus resplandecia....” Cristo Triunfante, MM. 2002 P. 153.

Foi por isto que Davi decidiu que se deveria construir um templo mais digno para a morada de Deus. A seu filho, Salomão, foi concedida a mais elevada honra nesta grandiosa obra e para a sua construção usou  o melhor material que existia. Desta maneira Deus honrou e abençoou a todos os colaboradores e adoradores.

Temos nós o mesmo sentimento com o templo do Senhor  e suas coisas sagradas? É o que fazemos para a casa de Deus o melhor?  Ou fazemos o melhor para a nossa própria casa?

“Não recebemos de Deus a ordem de erigir um edifício que se compare em riqueza e esplendor com o Templo. Mas devemos construir uma humilde casa de adoração, modesta e simples, de bom gosto e perfeita em seu planejamento. Então aqueles que possuem recursos sejam tão liberais e interessados em erigir um templo onde possam adorar a Deus, como o têm sido em estabelecer, construir e mobilar suas próprias casas. Que manifestem a disposição e o desejo de mostrar maior honra a Deus do que a si mesmos. Que construam com esmero, mas não com extravagância. Seja a casa construída de modo conveniente e cabal de modo que, ao ser apresentada a Deus, possa Ele aceitá-la e permitir que Seu Espírito repouse sobre os adoradores que têm em vista a Sua glória.”  Idem 153.

Deus  está disposto a abençoar os doadores  e adoradores fiéis de nosso tempo como o fez no passado.

 

II--COMPORTAMENTO ANTES DO CULTO

 

1- “Guarda o teu pé, quando entrares na casa de Deus; e inclina-te mais a ouvir do que a oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal” Eclesiastes 5.1.  Qual deve ser nosso comportamento na casa de Deus tanto de adultos, jovens como crianças? Convém “guardar o pé” ou seja andar prudentemente, com respeito e reverência. Convém “chegar para ouvir” Deus nos fala mediante Sua palavra na edificação da igreja. Você já parou para pensar porque Deus nos fez com uma boca e dois ouvidos? Não estará Ele querendo nos ensinar que temos que ouvir mais e falar menos?

Provérbios 10.19 LH assim descreve “ Quanto mais você fala, mais perto está de pecar; se você é sábio, controle a sua língua”.

 

2- “Quando os crentes entram na igreja, devem guardar a devida compostura e tomar silenciosamente seu lugar... Conversas vulgares, cochichos e risos, não devem ser permitidos na igreja, nem antes nem depois das reuniões. Uma ardente e profunda piedade deve caracterizar todos os adoradores... Se faltam alguns minutos para o começo do culto, os crentes devem entregar-se à devoção e meditação silenciosa, elevando a alma em oração a Deus para que o culto se torne para eles uma bênção especial, operando a convicção e conversão em outras almas. Devem lembrar-se de que estão presentes ali mensageiros do Céu. Perdemos geralmente muito da suave comunhão com Deus pela nossa falta de quietude e por não nos darmos à reflexão e oração. Se os crentes, ao entrarem na casa de oração, o fizessem com a devida reverência, lembrando-se de que se acham ali na presença do Senhor, seu silêncio redundaria num testemunho eloqüente. Os cochichos, risos e conversas, que se poderiam admitir em qualquer outro lugar, não devem ser sancionados na casa em que Deus é adorado. Cumpre preparar o espírito para ouvir a Palavra de Deus, a fim de que esta possa exercer impressão e influir sobre a alma.”  Testemunhos Seletos, vol. 2 p. 194.

 

3- Aqui temos alguns conselhos que devemos destacar e entre eles está a boa compostura que devemos ter na casa de Deus.  Quando se chega atrasado ao culto que já é uma irreverência, deve-se tomar cuidado  para não tirar a atenção dos demais. Sente-se em silêncio no seu banco e busque a Deus reverentemente numa prece. Muitos irmãos deveriam ser chamados de “atrasildos”, raramente estão no início dos cultos. Que desonra para Deus e seus anjos! Será que o anjo desta pessoa também atrasa? Existe ainda um mau costume de muitos que não resistem uma pessoa entrar na igreja sem fixar o olhar perdendo assim as preciosidades da palavra, assim satanás deseja. Jamais devem ser sancionados na casa de Deus os cochichos, risos e conversas. Os irreverentes geralmente costumam ocupar os últimos bancos distraindo com sua inquietude aos demais, assim também vemos muitos que se levantam desnecessariamente e saem do templo. Que nos diz a inspiração? “Deus é que deve ser o objeto exclusivo de nossos pensamentos e adoração. Qualquer coisa tendente a desviar o espirito de seu culto solene e sagrado constitui uma ofensa a Ele”  Testemunhos Seletos, Vol. 2, p. 202.

 

4- Um outro mal que contribui para a irreverência na igreja é a indumentária: O que é que desagrada a Deus? Diz-nos a serva do Senhor:

“Sinto-me muitas vezes penalizada quando entro na casa em que Deus é adorado e noto ali homens e mulheres em trajes desordenados. Se o coração e o caráter se revelassem pelo exterior, nada de divino deveria haver nessas pessoas... No entender de muitos não há maior santidade na casa de Deus do que em qualquer outro sítio dos mais comuns. Muitos penetram na casa de Deus sem tirar o chapéu, e com a roupa suja e em desalinho. Essas pessoas não reconhecem que aí vêm encontrar-se com Deus e os santos anjos. Uma reforma radical a este respeito se faz mister em todas as nossas igrejas. Os próprios pastores precisam ter idéias mais elevadas e revelar maior sensibilidade neste sentido. É um aspecto da obra que tem sido muito negligenciado. Por causa de sua irreverência na atitude, no traje, e comportamento, e sua falta de verdadeiro espírito de devoção, Deus muitas vezes tem afastado Seu rosto dos que se achavam reunidos para o culto.

“Todos deveriam ser ensinados a trajar-se com asseio e decência, sem, porém, se esmerarem no adorno exterior que é impróprio da casa de Deus. Cumpre evitar toda ostentação em matéria de roupa, que somente serviria para provocar a irreverência. Não raro a atenção das pessoas é dirigida sobre essa ou aquela peça de roupa e deste modo são sugeridos pensamentos que não deviam ocorrer no coração dos adoradores. Deus é que deve ser o objeto exclusivo de nossos pensamentos e adoração; qualquer coisa tendente a desviar o espírito de Seu culto solene e sagrado constitui uma ofensa a Ele.” Testemunhos Seletos, vol. 2, pp. 201, 202.

 

5- Devemos ser sensatos e ter exata compressão da ordem, da decência e do decoro que o Senhor exige daqueles que vão à  Sua presença para adorá-Lo.

“Muitos precisam ser instruídos quanto ao modo de se apresentarem nas reuniões para o culto do sábado. Não devem comparecer à presença divina com roupa usada no serviço durante a semana. Todos devem ter um traje especial para assistir aos cultos de sábado. Conquanto não seja lícito adaptar-nos às modas do mundo, nossa aparência exterior não nos deve ser indiferente. Devemos vestir-nos com asseio e elegância, posto que sem luxo e sem adornos. Os filhos de Deus devem estar limpos interior e exteriormente.”  Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 22.

Devemos usar as nossas melhores roupas para o encontro com o Senhor, mas é assim que muitas vezes acontece? Às vezes vemos nos cultos, irmãos com suas roupas manchadas do trabalho, rasgadas e desalinhadas. Qual seria a sua vestimenta ao ser convidado para uma festa de casamento ou comparecer na presença de um governador? Medite nisto!

6- “Uma de nossas mais fortes tentações é a irreverência. Deus é altíssimo é santo; e, para a humilde alma crente, Sua casa na terra, o lugar em que Seu povo se reúne para adorá-Lo, é a porta do céu.” Mensagens aos Jovens, p. 265.

 

III - COMPORTAMENTO DURANTE O CULTO

1- Cumpre-nos preparar o espírito para ouvir a Palavra de Deus. Aqui marcamos um encontro com Ele.

2- “O pastor deve entrar na casa de oração com uma compostura digna e solene. Chegado ao púlpito, deve inclinar-se em silenciosa oração e pedir fervorosamente a assistência de Deus. Que impressão não fará isto! A solenidade se apoderará de toda congregação. Seu pastor ali está, comunicando-se com Deus, encomendando-se a Ele antes de ousar apresentar-se diante dela. Uma profunda solenidade invade tudo e a todos, e os anjos de Deus são trazidos para bem perto. Cada um dos congregados deve, de cabeça inclinada, associar-se ao pregador em silenciosa oração, e suplicar a Deus que abençoe a reunião pela Sua presença, imprimindo virtude à palavra ministrada por lábios humanos.” Testemunhos Seletos, vol. 2, p. 195.

.           3- Devemos ter atitude de reverência, o templo é um lugar sagrado foi com este propósito que ele foi construído, então os congressistas devem observar a devida compostura, a reverência necessária e o reconhecimento de que estamos na presença do Altíssimo.

4- “Quando a Palavra é exposta, deveis lembrar-vos, irmãos, de que é a voz de Deus que vos está falando por meio de Seu servo. Escutai com atenção. Não dormiteis nessa hora; porque assim fazendo é possível escaparem-se-vos nesse momento justamente as palavras que mais necessitais ouvir - palavras que, atendidas, vos livrariam de enveredar por algum caminho errado. Satanás e seus anjos estão ativos, criando uma espécie de paralisia dos sentidos, de modo a não serem ouvidas as admoestações, advertências e repreensões, ou, se ouvidas, não terem efeito sobre o coração, transformando a vida. Às vezes é uma criança que desvia de tal modo a atenção dos ouvintes, que a semente preciosa não cai em terreno fértil para produzir fruto.”  Testemunhos Seletos, vol. 2 pp. 195, 196.

5- Como temos analisado, tudo aquilo que vise desviar a nossa atenção das coisas sagradas e solenes constitui uma ofensa a Deus. É sabido por todos que em qualquer ambiente fechado, tais como: salas de aulas, palestras, conferências, salas de reuniões e solenidades em geral, o toque dos aparelhos celulares, constituem, em uma das mais graves faltas de educação de quem se permite deixar seus aparelhos ligados. O que dizer então, quando permitimos o toque dos nossos celulares, no momento em que estamos recebendo a Palavra de Deus em Sua própria casa?

6- “Não tenhais tão pouca reverência pela casa e o culto de Deus, a ponto de palestrar uns com os outros durante o sermão. Se os que cometem essa falta pudessem ver os anjos de Deus observando-os e anotando suas ações encher-se-iam de vergonha e desprezo de si próprios. Deus quer ouvintes atentos. Foi enquanto os homens dormiam que o inimigo semeou o joio.” Mensagens aos Jovens, 266.

Uma das missões dos anjos é anotar o nosso mau comportamento no santuário sagrado e nada passa desapercebido dos seus minuciosos olhares.

Devemos fechar as portas para este mal existente em nosso meio, como diz a serva do Senhor: “Há uma crescente falta de reverência para com o nosso Criador; um crescente desrespeito para com Sua grandeza e majestade.”  Mensagens Escolhidas, vol. 2 p. 315.

Veja a preocupação da serva de Deus registrada no livro Mensagens aos Jovens, 265 “Estou alarmada ao ver crianças e jovens, filhos de pais religiosos, tão descuidados da ordem e decência que devem ser observadas na casa de Deus. Enquanto os servos de Deus apresentam ao povo as palavras de vida, alguns estão lendo, outros cochichando e rindo. Seus olhos estão pecando, distraindo a atenção dos que se acham ao seu redor. Esse hábito, se não for corrigido, crescerá, e influenciará a outros.“

7- Certa vez em uma cerimônia de casamento, na entrada da noiva alguns irmãos subiram no banco da igreja para ver melhor a noiva.  Até que ponto chegou a irreverência de alguns! Temos perdido o senso do que é santo? Precisamos uma reforma urgente e que o Senhor tenha misericórdia de cada um de nós e nos ajude.

 

IV- COMPORTAMENTO APÓS O CULTO

 

1- A ordem no término dos serviços religiosos faz parte da reverência e nisto o Senhor também requer obediência.

2- “Guarda o teu pé, quando entrares na casa de Deus” tudo que façamos que não contribui para a glória do Senhor há uma sentinela nos vigiando. Como nos portamos ao sair da igreja? Veja o conselho da pena inspirada: “Ao ser pronunciada a bênção, todos devem conservar-se quietos, como temendo ficar privados da paz de Cristo. Saiam então todos sem se atropelar e evitando falar em voz alta, portando-se como na presença de Deus e lembrando-se de que Seus olhos repousam sobre todos. Ninguém deve deter-se nos corredores para encontros e tagarelice, impedindo a passagem aos outros que buscam a saída. Os arredores imediatos da casa de oração devem caracterizar-se por uma grave solenidade, evitando os crentes o fazer deles lugar de encontro com os amigos, a fim de trocarem frases banais ou tratarem de negócios. Tais coisas não convêm na casa de Deus. Deus e os anjos têm sido desonrados pela maneira irreverente com que os crentes se portam nalgumas igrejas, acordando os ecos com suas gargalhadas e fazendo ruído com os pés.”  Testemunhos Seletos, vol. 2 p. 196.

3- O principal objetivo da adoração é criar condições nas quais possa ouvir a voz de Deus falando aos nossos corações. É aqui que temos um encontro com Deus, “Ele está aqui; esta é a Sua casa. Devo alimentar pensamentos puros e guiar-me pelos mais santos propósitos. Não devo conservar em meu coração orgulho, inveja, ciúmes, suspeitas, ódio ou engano; porque estou na presença de Deus. Este é o lugar onde Deus vem ter com Seu povo e o abençoa.” Testemunhos Seletos, vol. 2, p. 196.

4- Levítico 19.30 lemos: “Guardareis os meus sábados, e o meu santuário reverenciareis. Eu Sou o Senhor.” Esta foi a instrução de Jeová a Israel. É altamente significativo que as duas coisas estejam ligadas: Sábado e santuário. Se vamos a casa de Deus em seu santo dia e procedemos de maneira indigna nesse santo lugar, teremos transgredido o Sábado, embora guardemos as restantes horas, do dia de maneira mais correta. Muitos transgridem o Sábado neste horário: procedem de maneira indigna na igreja.  “Daí ao Senhor a glória devida ao Seu nome; adorai o Senhor na beleza da Sua santidade.” Salmos 29.2.

 

V- CONCLUSÃO

1-   Qual deve ser então a postura do adorador antes do culto?

a- Guardar a devida postura

b- Tomar silenciosamente o seu lugar.

c- Evitar: conversas vulgares, risos, etc..

d- Entregar-se à devoção e meditação.

 

2-   Postura durante o culto:

a- Estar pronto para ouvir. Escutar com atenção.

b- Não sair do recinto sem necessidade.

c- Na hora do culto a família deve estar reunida. Todos devem estar

juntos.

d- Os filhos devem ficar com os pais.

3-   Atitudes após o culto:

a- Sair de maneira reverente.

b- Evitar falar em voz alta.

c- Não ficar nos arredores imediatos da igreja em conversas banais, risos e tagarelice.

d- Não entrar em discussão com quer que seja.

 

4-   Fui roubado na igreja!

Uma vez um moço convidou um amigo para vir à igreja.

O pastor apresentou um sermão maravilhoso. Quando foram para casa o jovem perguntou ao seu amigo: - Que tal o culto? O amigo respondeu: Bem, apreciei a sua igreja, mas fui roubado. Aquele jovem estremeceu.......

Mas amigo, não havia visitantes. Todos eram membros piedosos. Mas fui roubado, disse o amigo. Como? Perguntou ele novamente. Respondeu: Não foram estranhos. O primeiro jovem que chegou tarde e para conseguir lugar no banco, tirou-me a bíblia da mão, justamente quando eu procurava um texto bíblico que o pastor havia mencionado. Esse foi o primeiro ladrão.

Os outros foram três senhoritas que chegaram atrasadas que mais pareciam exposição de vitrines e elas roubaram a minha atenção. Três ladras. Um outro ladrão estava na minha frente. Duas vezes ele perguntou as horas. Os dois últimos estavam atrás de mim, falaram o tempo todo. Não fui roubado em dinheiro, mas no sermão. Fui roubado em tua igreja!

5- Em Hebreus 12.28 afirma: “Sirvamos a Deus agradavelmente com reverência e santo temor.”

a- A maior perda humana é perder o senso da Presença de Deus.

b- Cristo baniu os cambistas do templo e o mesmo Ele deseja fazer em nossos corações.

c- Que o Santo de Israel nos dê discernimento entre o santo e o profano.

d- E como Moisés curvemo-nos diante da Sua santidade em adoração e ouvidos atentos à sua bendita voz. Amém

 

 

 

 

 

*******

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE NA

OBSERVÂNCIA DO SÁBADO

Pr. Jorge E. Torres

 

 


 

“Lembra-te do dia do sábado para o santificar.” “E santificai os meus sábados, e eles servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o Senhor vosso Deus.” Êxodo  20.8; Ezequiel 20.20. 

 

INTRODUÇÃO

Vivemos em tempos de grande apostasia no que respeita a observância à lei de Deus. O mundo de hoje vive em aberta e desafiante oposição às leis do governo celestial, pois em cumprimento de Isaías 24.5, e Daniel 7.25, os homens abriram uma brecha na lei de Deus tomando-se a liberdade de mudar o quarto mandamento, e o Sábado, como dia santificado por Deus foi tirado e colocado em seu lugar um dia de trabalho comum. Por esta causa Deus chamou um povo como “reparador de roturas e restaurador de veredas” Isaías 58.12; e se como reformadores nos sentimos chamados a cumprirmos essa missão, devemos cumpri-la de tal maneira que sejamos chamados fiéis reparadores, isto quer dizer, não meio reparada, mas totalmente reparada. O salmista diz: “É tempo de agires ó Senhor, pois eles violaram a tua lei.” Salmos 119.126.

A pergunta a nos fazer agora deveria ser: Estamos sendo em verdade fiéis reparadores dessa ruptura guardando corretamente o sábado?  De que maneira estamos observando como reformadores o santo dia do Senhor?  Estamos sendo zelosos e fiéis observadores do mandamento divino? Este exame é mui indispensável dentro de nossas fileiras, pois Deus está pedindo urgentemente uma reforma na vida de cada um de seus seguidores, aos quais diz pela pena inspirada: “Em sua vida deve ocorrer uma reforma que os tornará membros da família real, filhos do celeste Rei.” Conselhos Sobre Saúde, p. 356.  Mas, em que sentido  se nos chama especialmente a atenção hoje? “Deve-se fazer um esforço especial no sentido de efetuar uma reforma com respeito à observância do sábado.” Conselhos Sobre Saúde,  22.  Deus deseja que haja em seu povo uma renovação da fidelidade quanto à observância do Sábado, pois existe o perigo de estarmos negligenciando demais nosso dever para o qual fomos chamados.

IMPORTÂNCIA DO SÁBADO

À serva de Deus foi-lhe dada uma visão na qual ela chegou a compreender a importância que Deus confere ao Sábado como dia santificado, a qual ela relata nas seguintes palavras:

“Os quatro (mandamentos) da primeira tábua eram mais brilhantes que os seis da outra. Mas o quarto, o mandamento do sábado, brilhava mais que os outros; pois o sábado foi separado para ser guardado em honra do santo nome de Deus. O santo sábado tinha aparência gloriosa - um halo de glória o circundava.” Cristo em Seu santuário Pág 12; Maranata - MM1977, p. 243.

“O sábado é a grande questão decisiva. Ele é a linha de separação entre os leais e sinceros e os desleais e transgressores.”  Olhando para o Alto, MM 1983 - P. 118.

“E o sábado é o sinal da obediência. Aquele que de coração obedecer ao quarto mandamento, obedecerá toda a lei. Será santificado pela obediência.”  Maravilhosa Graça de Deus - MM 1974, P. 154.

NOSSA RESPONSABILIDADE

O Senhor nos está exortando hoje para que em nosso meio haja uma verdadeira restauração da fidelidade na observância do dia que Ele santificou. Somos responsáveis pela verdade que possuímos. Cabe-nos demonstrar diante do mundo pela nossa vida e exemplo que não somente professamos a verdade, mas que também somos fiéis praticantes da mesma no que respeita à observância do sábado.

“O remanescente de Deus, em pé diante do mundo como reformadores, deve mostrar que a lei de Deus é o fundamento de toda reforma perdurável, e que o sábado do quarto mandamento deve permanecer como memorial da criação, uma lembrança constante do poder de Deus.”  Profetas e Reis, pp. 675-678.

“Somos responsáveis somente pela luz que incide sobre nós. Os mandamentos de Deus e os testemunhos de Jesus estão nos servindo de prova. Se formos fiéis e obedientes, Deus Se deleitará em nós, e abençoará como Seu povo escolhido e peculiar.”  Testemunhos Seletos, vol. 1 p. 288.

 

UM ASSUNTO DE VIDA OU MORTE

 

“O sábado foi feito para benefício do homem; e transgredir conscientemente o santo mandamento que proíbe o trabalho no sétimo dia é um crime à vista do Céu, o qual era sob a lei mosaica de tanta importância, que exigia a morte do ofensor. Isto, porém, não era tudo quanto o faltoso devia sofrer, pois Deus não levaria para o Céu um transgressor de Sua lei. Ele devia sofrer a segunda morte, a plena e última pena para o transgressor da lei de Deus.” Testemunhos Seletos, vol. 1 p. 175.   

“Deus deu ao homem seis dias em que trabalhar para si mesmo, mas reservou um dia em que Ele deve ser especialmente honrado. Deve ser glorificado, respeitada Sua autoridade. E todavia o homem rouba a Deus tirando um pouco do tempo que o Criador reservou para Si. Deus reservou o sétimo dia como um período de repouso para o homem, para bem do homem mesmo, assim como para glória Sua.” Testemunhos Seletos, vol. 1 p. 175.   

“A observância parcial da lei do sábado não é aceita pelo Senhor, pois exerce pior influência sobre a mente dos pecadores,  muito mais do que se não professásseis ser  observadores do Sábado... Muitos se escusam de violar o Sábado pelo vosso mau exemplo.” EET, Pág. 254.  (Traduzido)

Qual é então a forma correta de observarmos o Sábado para que o nome do Senhor seja realmente glorificado?

CUIDANDO DOS  LIMITES DO SÁBADO

O povo do Senhor deve conhecer e apreender a respeitar os limites do Sábado, seu início e sua finalização, pois nisto muitas das vezes falhamos sendo assim causas de maus exemplos de desobediência A Deus, mas isto não deveria existir dentro das fileiras do Senhor, pois se quisermos um dia, e muito em breve, desfrutar do descanso celestial na glorias eternas deve haver uma mudança neste sentido.

Vejamos com atenção às seguintes orientações da pena inspirada.

“Devemos observar cuidadosamente os limites do sábado. Lembrai-vos de que cada minuto é tempo sagrado. Sempre que possível, os patrões deverão conceder aos empregados as horas que decorrem entre o meio-dia da sexta-feira e o começo do sábado. Dai-lhes tempo para a preparação, a fim de poderem saudar o dia do Senhor com sossego de espírito. Assim procedendo não sofrerão nenhum prejuízo, nem mesmo quanto às coisas temporais.”  Testemunhos Seletos, vol. 3 p.  22.

“O sábado é a grande questão decisiva. Ele é a linha de separação entre os leais e sinceros e os desleais e transgressores.”  Olhando para o Alto, MM 1983 - P. 118.

“Ao pôr-do-sol, elevai a voz em oração e cânticos de louvor a Deus, celebrando o findar do sábado e pedindo a assistência do Senhor para os cuidados da nova semana..” Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 25.

 

PREPAROS  NA SEXTA-FEIRA     (leitura de Êx.16:22,23)

“Na sexta-feira deverá ficar terminada a preparação para o sábado. Tende o cuidado de pôr toda a roupa em ordem e deixar cozido o que houver para cozer. Escovai os sapatos e tomai vosso banho... O sábado não deve ser empregado em consertar roupa, cozer o alimento, nem em divertimentos ou quaisquer outras ocupações mundanas.”  Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 22.

 

ARRUMANDO NOSSAS DIVERGÊNCIAS

“Há ainda outro ponto a que devemos dar a nossa atenção no dia da preparação. Nesse dia todas as divergências existentes entre irmãos, tanto na família como na igreja, devem ser removidas. Afaste-se da alma toda amargura, ira ou ressentimento. Com espírito humilde ‘confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis’. Tia. 5.16.”  Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 22..

Muitas vezes somos sensíveis demais, cuidamos muito do eu, e nos ofendemos por qualquer coisa.  Isto, sem dúvida alguma nos levará a passar o sábado tristes, aflitos e magoados, ou até mesmo ausentes dos cultos da igreja, e com isto, em lugar de agradar a Deus O estamos ofendendo, já que o culto não pertence a quem achamos que estamos enfrentando com isto, porém na realidade estamos enfrentando o próprio Deus. Então, em verdade deste modo, demonstramos que estamos revoltados contra Deus e não contra alguém. Que diferente é quando despojados destas coisas nos apresentamos a Deus para glorificá-Lo com alegria e paz, pois este será um Sábado de amor e felicidade. Por isso que a reconciliação é uma parte de importância primordial em nossa preparação para o Sábado.

ANTES DO-POR-DO-SOL

“Antes do pôr-do-sol, todos os membros da família devem reunir-se para estudar a Palavra de Deus, cantar e orar. A este respeito estamos necessitados de uma reforma, porque muitos há que se estão tornando remissos.” Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 23.

“Antes do pôr-do-sol, ponde de parte todo trabalho secular, e fazei desaparecer os jornais profanos. Explicai aos filhos esse vosso procedimento e induzi-os a ajudarem na preparação, a fim de observar o sábado segundo o mandamento.”  Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 22.

 

ALIMENTOS  PARA O SÁBADO

Que medidas devem ser tomadas antes do sábado na provisão de alimentos para os clientes dos restaurantes, pacientes e empregados das clínicas ou hospitais da igreja?

“Essas pessoas levam, na sexta-feira, alimento que lhes dura até ao sábado, e dessa forma evitamos condenação pela recusa de abrir o restaurante no sábado." Conselhos Sobre Saúde, p.  490.

“Em nossos hospitais, o grupo de pacientes, juntamente com os médicos, enfermeiros e funcionários, devem ser alimentados no sábado, como qualquer família, com o mínimo trabalho possível. Nossos restaurantes, porém, não deverão funcionar no dia do sábado. Seja esse dia concedido aos obreiros para o culto a Deus. As portas fechadas no sábado assinalam o restaurante como um memorial de Deus, memorial que declara que o sétimo dia é o sábado, e que nele não deve ser feito trabalho algum desnecessário.”   Conselhos sobre Saúde,  490.

“Deve-se fazer um esforço especial no sentido de efetuar uma reforma com respeito à observância do sábado.”  Conselhos sobre Saúde,  p.  422.

LAVANDO A LOUÇA NO SÁBADO

“Recomendamos a todos que não lavem sua louça no sábado se for possível evitá-lo. Deus é desonrado por todo trabalho desnecessário efetuado no Seu santo dia. Não é incoerente, e, sim, apropriado, que a louça fique por lavar até o fim do sábado, se isto puder ser feito assim.”  Carta 104, 1901.” Mensagens Escolhidas vol. 3 p. 258.

Seria recomendável que para o Sábado fossem usados pratos descartáveis, ou de outra forma, que quando nos levantamos da mesa no dia Sábado colaboremos com a cozinheira lavando nosso próprio prato, e assim evitaríamos dar tanto trabalho às mesmas.

ASSISTINDO AULAS EM SÁBADO

É correto assistir às aulas no dia de Sábado?  “Meu querido jovem irmão, você tem uma grande ambição de adquirir conhecimentos. Essa ambição é digna de louvor, mas para alcançar o seu objetivo, você deixou de lado os interesses eternos colocando-os em um plano secundário a seu estudo. As obrigações da lei de Deus não tem sido observadas em forma sagrada em sua vida diária. Você quebrantou o  Sábado estudando num tempo sagrado que não lhe pertence, ocupando-o em seus próprios propósitos. Deus disse: “não faças nele obra alguma.” EET. P. 359 (tradução).

DORMINDO NO SÁBADO

“Não deveis perder as preciosas horas do sábado, levantando-vos tarde. No sábado a família deve levantar-se cedo. Despertando tarde, é fácil atrapalhar-se com a refeição matinal e a preparação para a Escola Sabatina. Disso resulta pressa, impaciência e precipitação, dando lugar a que a família se possua de sentimentos impróprios desse dia. Sendo profanado, o sábado torna-se um fardo, e sua aproximação será para ela antes motivo de desagrado do que de regozijo.” Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 23.

“Ninguém deve sentir-se livre para gastar sem proveito o tempo santificado. Desagrada a Deus que os observadores do Sábado durmam durante grande parte do dia. Fazendo assim desonram a seu Criador.” EET, P. 355. (Traduzido).

 

FALANDO DE NEGÓCIOS NO SÁBADO

“Antes de começar o sábado, tanto a mente como o físico devem desembaraçar-se de todos os negócios seculares..”  Testemunhos Seletos, vol. 3 p. 22.

“Os que não se acham inteiramente convertidos à verdade, deixam com freqüência que a mente lhes corra às soltas sobre negócios mundanos, e embora repousem dos trabalhos físicos no sábado, a língua fala do que está no coração; daí, essas conversas sobre gado, colheitas, prejuízos e lucros. Tudo isto é violação do sábado. Se a mente gira em assuntos mundanos, a língua o revelará; pois ‘da abundância  do... coração  fala a boca’. Luc. 6.45.”   Testemunhos  Seletos, vol. 1 p. 291.

É essencial que nas horas do Sábado nos ocupemos única e exclusiva-mente nas coisas sagradas, manter nossas mentes ligadas às coisas elevadoras, ocupar-nos no estudo da Palavra de Deus, em levar a mensagem de salvação realizando visitas missionárias, ajudando aos enfermos  etc, pois este foi o exemplo de Cristo nas horas sagradas. Não deveríamos passar nosso tempo lendo revistas, contando piadas, falando de coisas comuns ou simplesmente deixando passar o tempo sagrado sem nenhum proveito. Lembremos que de tudo isto devemos responder um dia diante de Deus.

SOCIEDADE COM INCRÉDULOS

É correto manter sociedades comerciais com pessoas incrédulas? Que orientações se encontram no Espírito de Profecia a este respeito?

“Outras, (pessoas) bem informadas das provas bíblicas de que o sétimo dia é o sábado, fazem sociedade com homens que não reverenciam o santo dia de Deus. O observador do sábado não pode ter a seu serviço, pagos com seu dinheiro, homens para trabalhar no sábado. Se, por amor ao lucro, consente que o negócio em que tem interesses seja atendido no sábado pelo sócio incrédulo, é ele tão culpado quanto o incrédulo; e tem o dever de dissolver a sociedade, por mais que perca por assim proceder. Podem os homens pensar que não lhes é possível obedecer a Deus, mas o que não podem fazer é permitir-se desobedecer-Lhe. Os negligentes na observância do sábado sofrerão grande perda.” Review and Herald, 18 de março de 1884. Evangelismo,  p. 245.

VIAJANDO EM SÁBADO

“Exorto-vos, caros irmãos e irmãs: Lembrai-vos ‘do dia do sábado, para o santificar’. Êxo 20.8... Temo que muitas vezes empreendamos nesse dia viagens que bem poderiam ser evitadas. De conformidade com a luz que o Senhor nos tem concedido em relação com a observância do sábado, devemos ser mais escrupulosos quanto a viagens nesse dia, por terra ou mar... Para ir à igreja, que requer a nossa cooperação ou à qual devemos transmitir a mensagem que Deus lhe destina, pode tornar-se necessário viajar no sábado; mas sempre que possível devemos, no dia anterior, comprar a passagem e tomar todas as disposições necessárias. Quando empreendermos viagem, devemos esforçar-nos o mais possível por evitar que o dia da chegada ao destino coincida com o sábado.”  Testemunhos Seletos, vol. 3 p.26.

 

 

 

 

 

Podemos trabalhar no sábado quando não temos recursos para manter uma grande família?

“As circunstâncias não justificam a ninguém que trabalhe no dia de Sábado para um ganho material. Se Deus desculpasse a um só, poderia desculpar a todos.”   EET. P. 367 (tradução).

SANTIFICADOS PELA OBEDIÊNCIA

“O Poder que criou todas as coisas é o que torna a restaurar a alma à Sua própria semelhança. Para os que guardam o sábado, esse dia é o sinal da santificação. A verdadeira santificação consiste na harmonia com Deus, na imitação de Seu caráter. Essa harmonia e semelhança são alcançadas pela obediência aos princípios que são a transcrição de Seu caráter. E o sábado é o sinal da obediência. Aquele que de coração obedecer ao quarto mandamento, obedecerá toda a lei. Será santificado pela obediência.”  Maravilhosa Graça de Deus - MM 1974, Pág. 154.

 

Deus abençõe Sua igreja  para que com um coração voltado para Ele obedeçamos com fidelidade o santo dia do Senhor. Amém.

 

 

 

 

 

 

 

*******

RENOVAÇÃO DE NOSSA FIDELIDADE

EM NOSSOS VOTOS

Pr.  Ismael B Casimiro

 


 

 

"Melhor é que não votes do que votares e não cumprires." Eclesiastes 5.5

 

INTRODUÇÃO

Durante este período de dois meses, tivemos nove lindos temas a respeito da renovação da nossa fidelidade, 1° FIDELIDADE NO ALTAR DA FAMÍLIA, 2° NA PALAVRA, 3° NA APARÊNCIA E CONDUTA CRISTÃ, 4° NA HIGIENE, 5° NA TEMPERANÇA, 6° NA EVANGELIZAÇÃO, 7° NOS DÍZIMOS, 8° NA REVERÊNCIA, 9° NO SÁBADO, e hoje, vamos fazer um resumo, e a conclusão.

Em todos estes sábados que estivemos presentes aqui, nós temos renovado nosso voto de fidelidade ao nosso Pai todo Poderoso.

Votar significa 'prometer solenemente'; isto foi o que fizemos a cada sábado subseqüente. Prometemos ser fiéis e renunciar tudo que ofende ao nosso bom Pai celestial.

O voto mais solene feito diante de todo o universo foi o de Cristo, em prometer dar a Sua vida em nosso favor; e sem se importar com as conseqüências; Ele renunciou a tudo "sendo fiel até a morte e morte de cruz." Filipenses  2.8

Quando nós aceitamos a graça Divina e recebemos o perdão eterno, entramos em uma nova dimensão de vida, que nos leva a permanecer em continua comunhão com o grande Rei do universo, que exige de cada um de nós uma resposta ética.

 

1° -  NO ALTAR DA FAMÍLIA.

Aprendemos que:

1. O altar é um símbolo da adoração verdadeira, e a sua reconstrução com as pedras em ruínas           espalhadas significa que cada membro da família é chamado a ser parte do altar doméstico e do          tabernáculo de Cristo que é sua igreja, seu próprio corpo.

 

2 “Cada lar cristão, manhã, e tarde, deveria honrar a hora do sacrifício e do louvor. Durante o        culto matutino e vespertino deveriam ascender fervorosas orações ao Altíssimo pedindo sua bênção e direção.” Recebereis Poder, p. 141.

 

 

2° - NO PODER DA PALAVRA

 

Aprendemos que:

a)   A palavra tem poder negativo:

1. Difamação. Significa: Tirar a boa fama ou o crédito de; caluniar; desacreditar publicamente; infamar.

2. Calúnia. É Difamar, fazendo acusações falsas, mentira, falsidade, invenção.

3. Murmuração. É  Soltar queixumes; lastimar-se em voz baixa; resmungar

4. Palavras torpes. É de baixa qualidade, grosseira -. Palavras de baixo calão, gírias, apelidos. Conversas fúteis e desrespeitosas, consiste no linguajar predominante na nossa sociedade.

5.  Não comentar sobre pecados particulares já corrigidos.

 

1.     a) A palavra tem poder positivo.

1.     Palavras de ânimo, de conforto, de louvor.  

2.     Palavras de Graça. de ternura, de amor.

3.     “A boca do justo é manancial de vida...” Provérbios 10.11.

”A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um”  Colossenses 4.6.

Perguntar: Vocês estão dispostos a cumprir este voto no poder da palavra?

 

3° - NA  APARÊNCIA E CONDUTA CRISTÃ

 

Aprendemos que:

a) O que fazemos fala mais alto, de que, o que falamos.

1. Nosso traje deverá estar em harmonia com a nossa fé.

2. O nosso Pai Eterno observa a fé no interior da alma, mas os homens a observam no exterior do corpo, e na conduta do crente.

3. A maioria das modas de hoje não foram inspiradas pelo Criador.

“Satanás inventou as modas que deixam os membros expostos,...”. T. Vol. II 532.

 

4° - NA HIGIENE

 

Aprendemos que:

a) higiene pessoal.

b) A higiene deverá começar no espírito na alma e finalmente no corpo 1Tes 5.23

c) A limpeza exterior deverá ser o reflexo do interior da alma do crente.

1. Tomar banho diariamente. O cheiro do corpo, da roupa, do hálito, deve ser agradável.

2. Usar um pouco de talco antisséptico nos pés.

3. Manter mãos e unhas limpas e cabelos sempre penteados.

4. Higiene do ambiente em que vivemos

1º. Como cristãos devemos estar em harmonia com as leis da ecologia.

2º. Começamos praticar em nossa casa; (quintal cozinha banheiro etc)

“Nunca te esqueças de que os pensamentos motivam ações. Atos repetidos formam hábitos, e hábitos formam o caráter.” Olhando para o Alto, MM. 198 p. 83

Estamos todos dispostos a cumprir?

 

5° - NA TEMPERANÇA

Aprendemos que:

a) Existe uma Maravilhosa relação entre a mente e o corpo.

1- “A relação existente entre a mente e o corpo é muito íntima. Quando um é afetado, o outro se ressente. O estado da mente atua muito mais na saúde do que muitos julgam. Muitas das doenças sofridas pelos homens são resultado de depressão mental. Desgosto, ansiedade, descontentamento, remorso, culpa, desconfiança, todos tendem a consumir as forças vitais, e a convidar a decadência e a morte.” A Ciência do Bom Viver, 241

1º) A mente e o corpo são como dois universos paralelos. Qualquer coisa que sucede no universo mental deixa marcas no universo físico.

2º)  I Coríntios 10.31 “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer          coisa, fazei tudo para glória de Deus.” Todo alimento estimulante prejudica os nervos sensitivos do cérebro, obstruindo o canal da comunicação do Espírito Santo com o homem.

b) Neurotransmissores bons  (endorfinas, beta-endorfinas,

serotoninas, encefalinas, etc)

1- . Prov 17.22 “O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos.”. Prov 15.13 “O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate.”.

Existe uma simpatia assombrosa entre a mente e o corpo, as células do corpo sabem o que acontece com sua pessoa, seu cérebro comunica a cada uma de suas células e suas células comunicam o que está acontecendo no corpo e respondem ao seu cérebro as mensagens recebidas. E produz os neurotransmissores.

 

c) Neurotransmissores maus (adrenalina, cortisol, etc)

1- I João 3.15 “Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele.” E estará sujeito a enfermidades físicas ou mentais; e assim sucessivamente. Cada pensamento negativo trará conseqüências negativas. É abençoando que se é abençoado.

2- Repitam comigo: Pai faz de mim uma fonte das tuas bênçãos para o mundo.

 

6° - NA EVANGELIZAÇÃO.

 

Aprendemos que:

a) Que a igreja é um corpo, e nós somos membros deste corpo organizado.

b) Que somos: “a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anunciemos as virtudes daquele que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz.” 1 Pedro 2:9.

1.     Nós somos o sal da terra. Mat 5.13  (sal conserva e dá sabor) Cristo é a fonte de sal

2.     Nós somos a luz do mundo. Mat 5.14. (luz é a verdade que alumia nas trevas) Cristo é a fonte de luz. Só recebendo da fonte poderemos comunicar.

Nosso Pai não força a ninguém, mas quer um serviço completamente voluntário Ele pergunta: “A quem enviarei e quem há de ir por nós?” Quem dera neste momento respondêssemos todos como Isaias: “Eis-me aqui, envia-me a mim” Isaias 6.8

1.     Levante-se e repita comigo: ”Eis-me aqui, envia-me a mim”

 

7° - NOS DÍZIMOS.

 

Aprendemos que:

a) A arvore da ciência do bem e do mal representa o dízimo, e como a nossos pais não temos o direito de tocá-lo.

1.     Que na devolução dos dízimos nós podemos perceber o grau de egoísmo que ainda impera no interior da nossa alma.

2.     Que reter os dízimos é roubar o dono do universo. Mal 3:8

3.     O dízimo deverá ser usado exclusivamente para a manutenção daqueles que trabalham  para a salvação das almas.

4.     Que este deverá ser o primeiro a ser separado e não o último.

 

Vocês se comprometem a ser fiéis a nosso Rei? Digam: Amém

 

8° - NA REVERÊNCIA

 

Aprendemos que:

a) Antes do culto:                   1- Guardar a devida postura

2- Tomar silenciosamente o seu lugar.

3- Evitar: conversas vulgares, risos, etc..

4- Entregar-se à devoção e meditação.

 

b) Durante o culto:                        1- Estar pronto para ouvir. Escutar com atenção.

2- Não sair do recinto sem necessidade.

3- Na hora do culto a família deve estar reunida.                                                      Todos devem estar juntos.                                                                                                                            4- Os filhos devem ficar com os pais.

 

c) Após o culto:                1- Sair de maneira reverente.

2- Evitar falar em voz alta.

3- Não ficar nos arredores imediatos da igreja em                                                     conversas banais, risos e tagarelice.

4- Não entrar em discussão com quer que seja.

Vocês prometem ser fiéis na reverência nos cultos sagrados?

 

9° - NA OBSERVÂNCIA DO SÁBADO.

 

Aprendemos que:

a)  O sábado é o único dia que tem uma tríplice distinção.

b)  Antes do por do sol, devemos preparar o espírito para a adoração.

c)  Evitar todo trabalho desnecessário durante o sábado.

d)  Não usar este dia para ir às aulas ou estudar matérias seculares.

e)  Levantar cedo, e não dormir durante grande parte do dia.

f)  Não falar de negócios; evitar viagens neste dia.

g) O Criador separou o sábado para Si com o objetivo de nos beneficiar.

Este mandamento nos distingue das demais pessoas do mundo, sua observância nos santifica, e santifica o nome do Todo Poderoso Criador e Redentor do mundo. Sendo este o elo de união do seu povo espalhados sobre toda a terra, que serão ajuntados pelo Espírito Santo.

 

CONCLUSÃO:

Querido Pai, eu quero ser um vaso aberto, com terra bem adubada, para que a semente da tua palavra se desenvolva em minha alma e produza frutos de obediência que leve o mundo a glorificar o teu sagrado nome. Que a chuva do Teu Espírito caia sobre mim, e sobre todos os fiéis da tua igreja. Amém.

 

 

 

 

*******

 

 

 

 

 

 

*******

 

 Literaturas Diversas
      Livros                          Lições                        Leituras                      Semana  de     
Diversos                   E. Sabatina                  Juvenil 2016                   Oração   

        

Canais
Culto ao vivo                      Canal Ajur                     SGI/BSC

                    

Escritório central

Rua Santo Henrique - 73
Vila Ré - São Paulo - SP
(11) 2957-4087 Imer_mb03@hotmail.com
Desenvolvido por Webnode